• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pandemia

Adultos jovens entre 20 e 49 anos são 65% dos casos de Covid-19

Até o momento foram 27.718 pessoas dentro dessa faixa-etária acometidas pela doença

(Foto: Arquivo/Marco Miatelo)

Mais da metade dos infectados pela Covid-19 em Campo Grande (MS) tem entre 20 a 49 anos. Até o momento foram 27.718 pessoas dentro dessa faixa-etária acometidas pela doença. Os dados são do Boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

Campo Grande voltará a ter toque de recolher a partir da madrugada de sexta-feira, 27, devido ao crescimento da contaminação do vírus. O avanço da doença é atribuída às constantes aglomerações de jovens em festas na Capital. O recolhimento obrigatória será das meia-noite às 5h da manhã.

Durante entrevista ao programa Cidade Alerta MS, da TV MS Record, na noite de quarta-feira, 25, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) falou sobre o assunto. “Houve comodismo, houve relaxamento (…) Essa idade não é a de mais mortes, mas o jovem pode infectar outras pessoas. Nossa preocupação são as pessoas acima dos 60 anos de idade”, ressaltou.

O maior índice está entre adultos jovens de 30 a 39 anos, com 24,88% do total do número de casos. Isso significa que 10.615 pessoas nesta idade contraíram Covid-19 em Campo Grande.

Marquinhos Trad durante entrevista ao apresentador Rodrigão, do Cidade Alerta MS (Foto: Valdelice Bonifácio)

A segunda maior proporção de casos é entre adultos de 40 a 49 anos, 20,05% dos casos, o equivalente a 8.556 pessoas contaminadas. Logo em seguida estão os jovens de 20 a 29 anos, com 20% na parcela total de casos, o que representa 8.547 infectados pela doença.

Internação - Outro dado preocupante é que, apesar da doença acometer, em sua maioria, adultos jovens saudáveis, o índice ou eventual necessidade de internação hospitalar é maior entre pessoas com doenças pré-existentes e idosos acima dos 60 anos.

Dos 254 pacientes internados atualmente em leitos clínicos e de UTI em Campo Grande, 108 possuem mais de 60 anos. Outros 101 pacientes estão na faixa entre 41 a 60 anos, 41 entre 21 a 40 anos, três entre 1 a 20 anos e um menor de 1 ano de idade.

O número de óbitos também é maior entre os idosos. Até o dia 25 de novembro foram registradas 590 mortes de pessoas com mais de 60 anos, ou seja, quase 80% do total de óbitos registrados pela doença. Até o momento a doença já fez 754 vítimas fatais na Capital.

Veja Também