• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Dourados

Protesto em frente à Prefeitura por mudança de decreto

Para barrar avanço do coronavírus, medida fecha bares, conveniências, academias e tabacarias

(Foto: Adalberto Domingos)

Após decreto que fecha bares e restaurantes por 10 dias, houve protesto na manhã desta quinta-feira (09), em Dourados. Representantes dos grupos ligados às atividades afetadas, fizeram manifestação em frente à Prefeitura Municipal.

Conforme o decreto, a decisão foi tomada “considerando a necessidade de adoção de novas medidas para garantir o afastamento social, evitar as aglomerações de pessoas, diminuir a taxa de infecção do novo Coronavírus e evitar a sobrecarga dos serviços de saúde”. O decreto deverá entrar em vigor nesta sexta-feira (10).

Desse modo, comerciantes das áreas afetadas pela nova normatiza do município se organizaram por meio das redes sociais para fazer uma movimentação e pedir esclarecimentos da gestão municipal. De acordo com o documento, serão suspensas as atividades em academias de ginásticas, estúdios e afins, além do funcionamento presencial de bares, conveniências e tabacarias.

As categorias que iniciaram o movimento juntas, começaram a se separar a partir de um passo inicial da prefeita Délia Razuk em alterar o decreto. Rafael Lima, que representa os bares e conveniências, relatou que a conversa com a prefeita do município ocorreu na manhã de hoje (9), onde foi acordado que a administração municipal estudará a possibilidade dos comércios continuarem atuando pelo menos no sistema drive-thru, onde a pessoa passa pelo local, compra a mercadoria e leva embora.

Sobre o sistema drive-thru, Rafael disse que pode ser uma alternativa para não prejudicar ainda mais a categoria durante esse período de pandemia, “já dá uma desafogada bem porque dez dias com portas fechadas muita gente vai quebrar. Esse nosso segmento ele é fraquinho, ele não aguenta”, enfatizou ele.

Enquanto isso, representantes da categoria de academias, estúdios e afins ainda esperam um posicionamento da administração municipal. Os profissionais da área que estavam no local afirmam que a atividade física é o único suporte para a população cuidar da saúde neste momento.

Quanto a atuação do município para atender à população que precisa de serviços de saúde, Jair Amaro, representante do grupo de academias, foi enfático, “estão tomando medidas que não está funcionando aqui em Dourados, não dão remédio para ninguém, você vai lá e não dão suporte para nada, a Saúde tá uma porcaria”.

Em outro momento, ele relatou que já teve que demitir funcionários devido às dificuldades desencadeadas pela pandemia e acha injusto só parte dos comerciantes serem prejudicados, “fecha tudo então”, afirmou Jair. Ele ainda informou que caso a administração não se posicione, a categoria entrará com um mandado de segurança.

Ainda de acordo com o decreto, “O Município de Dourados executará a fiscalização através da Guarda Municipal, dos fiscais de postura, de Vigilância Sanitária e Ambiental para o cumprimento das medidas previstas, e aplicação das sanções administrativas e penais cabíveis”

Conforme o boletim divulgado pela administração municipal de Dourados na quarta-feira (08), Dourados somava 3.135 pessoas infectados pelo novo coronavírus, dessas, 1.788 era consideradas recuperadas e 1.288 estavam em isolamento domiciliar.

Outros 38 pacientes estavam em hospitalizados, 12 em leitos clínicos e 26 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).  O município registrou 38 óbitos por covid-19.

(Com informações: Dourados News)

Veja Também