• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Campo Grande

‘Não é uma tarefa fácil administrar uma cidade como Campo Grande’, diz Marquinhos Trad

Prefeito reeleito participou de uma coletiva de imprensa juntamente com a vice-prefeita, Adriane Lopes

Prefeito reeleito para Campo Grande, Marqunhos Trad (PSD) e vice-prefeita Adriane Lopes (Patriota) (Foto: Marco Miatelo)

“Não é uma tarefa fácil administrar uma cidade como Campo Grande”, discorreu Marquinhos Trad (PSD) nesta segunda-feira, 16 de Novembro, durante coletiva à imprensa ao lado da vice-prefeita, Adriane Lopes (Patriota) na prefeitura. Marquinhos revelou seus planos para a Capital. Dentre eles, está a restruturação da cidade.

“Já cumprimos 30% do plano eleitoral. Somos considerados um dos prefeitos e a vice-prefeita que mais fez ações de acordo com o projeto de reeleição no País. Com o planejamento técnico e com as estratégias junto com a Câmara do Estado e Federal vamos melhorar nossa cidade", garantiu.

O prefeito reeleito contou que já entrou em contato com o deputado federal, Dagoberto Nogueira (PDT) e pediu para alinhar com o senador Nelsinho Trad (PSD) uma reunião para discutirem os projetos para a Capital. “O meu projeto chama-se Campo Grande, vou focar na cidade”.

Sobre o Consórcio Guaicurus, que reúne as empresas de ônibus, ele mencionou que o contrato feito após licitação tem regras a serem cumpridas pelas partes. A validade é de 30 anos.

"O contrato já passou por análise e tem como dados: a média de idade das frotas dos ônibus. Então, quem sentar aqui, tem que honrar o contrato. Bateram no valor do reajuste da tarifa, mas não aumentamos. Está no contrato que de cinco em cinco anos terá um reajuste acima de 30%. Nesse caso, será levada em conta a inflação, número de passageiros, salário dos motoristas e entre outros. E, nenhum deles é culpa da Prefeitura Municipal."

As obras paradas também serão alvo de nova ação de Marquinhos Trad. "Já concluímos 9, estamos concluindo mais três obras e vamos entregar quatro até o final do mandato. Além disso, a rodoviária antiga já tem o dinheiro garantido. Será feita uma licitação e a empresa que ganhar irá fazer a recapitalização. "

O prefeito deixou claro que a rodoviária não é da prefeitura municipal, mas na parte que cabe ao município, será feita a recapitalização. Contudo, será feita também uma renovação para a Guarda Civil Metropolitana permanecer no local, pois, existem muito pedintes e moradores de rua na região.

O paisagismo em Campo Grande e as reformas terão a aplicação das luzes de LED. As entradas e saídas da Capital também serão recapeadas. "Quero restruturar todos os bairros. Em outros mandatos, muitos bairros receberam o asfalto, mas sempre uma metade ficava sem ser finalizada. Quero arrumar esses projetos. A minha ida para Brasília (DF) é para levar minha proposta de emenda e debater sobre esse trechos na cidade (...) A licitação do Centro de Belas Artes já está autorizada".

Indagado sobre ter comentado sobre a cidade ser conturbada, o prefeito esclareceu: "Não disse que a cidade é conturbada, a cidade veio de um mandato conturbado. Com isso, os eleitores viram a evolução da cidade nesses quatro anos e aprovaram o trabalho da nossa equipe. O que fizemos, entregamos no plano de governo. Teve candidato que disse que iria entregar um viaduto e, nós, não dizemos coisas que não conseguimos fazer. Eles tinham várias opções e podiam votar em branco, mas pensaram que nós merecíamos uma reeleição", destacou.

Durante a coletiva, Marquinhos comentou a situação das unidades de terapia intensiva (UTI) por conta da pandemia do novo coronavírus. Ele descartou fechar a cidade ou paralisar os ônibus que seriam ,segundo ele, fakenews. "Venho acompanhando os leitos da UTI e felizmente existem muitos vazios. Não vem sofrendo aumento e não iremos falar de nenhuma regra por enquanto. É difícil trabalhar com achismo. Por mim, Campo Grande não teria tido nenhuma onda".

Marquinhos ainda não pensou sobre a possibilidade de trocar sua equipe. ""A função de executivo trás uma enorme trabalho e, acabei acreditando em algumas pessoas que não foram fieis".

Comentado sobre o Chiquinho Telles (PSD), candidato não eleito nas Eleições de 2020 e braço direito de Marquinhos, qual seria a chance de fazer parte da equipe e, ser chamado para prefeitura. O prefeito disse que são dois poderes diferentes. "Não posso falar sobre isso. Em relação em nome não pensei e nem em nomes de outros partidos."

O plano de economia também foi exposto. O primeiro passo é a recuperação. "O salário será pago no dia certo e o 13° será entregue antecipado". Sobre os empregos na Capital, Marquinhos discorreu que com as obras que a cidade irá ter, isso fornecerá um grande números de empregos para aqueles que tiveram durante a pandemia seu serviço perdido. Será um número bom de contratação.

Em relação ao segundo candidato mais votado, o promotor Sérgio Harfouche (Avante), Marquinhos relatou que o mesmo tem que decidir qual carreira quer seguir — de político ou de promotor. "O ministério tem que resolver isso primeiro. Na minha ótica, ele saiu um pouco enfraquecido do que no outro ano, pois, perdeu muito votos. Além disso, por conta do filho dele, que não conseguiu se eleger a vereador".

Por fim, Marquinhos Trad já confirmou a Liga das Nações em 2021, no Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis — Guanandizão.