• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pandemia

Sindicato dos Jornalistas de MS apoia ação pelo lockdown

Entidade também salienta a necessidade de ajuda aos pequenos negócios e trabalhadores informais

(Foto: Reprodução)

Em reunião de diretoria na noite desta quinta-feira (6), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor/MS) decidiu abrir interlocução com o movimento sindical e com setores da sociedade civil organizada com a intenção de pressionar as autoridades competentes para a tomada de medidas mais enérgicas de restrição da movimentação de pessoas em Campo Grande.

Os profissionais da imprensa demonstram preocupação com o aumento do contágio da COVID-19 na capital. Segundo Walter Gonçalves Filho, presidente do Sindjor/MS, “são necessárias providências urgentes em relação ao enfrentamento do coronavírus, por isso todo o nosso apoio à Ação Civil impetrada pela Defensoria Pública que exige da prefeitura o fechamento do comércio e dos serviços”.

No entanto, o Sindjor/MS salienta a necessidade urgente de medidas de apoio do governo, tanto na esfera municipal, quanto estadual e federal, aos pequenos negócios e trabalhadores informais, grupos mais afetados economicamente com a pandemia. Sem poder abrir as portas, pequenos comerciantes têm enfrentado inúmeras dificuldades e os benefícios e linhas de financiamento concedidos hoje não chegam a todos que precisam.

Além disso, trabalhadores também sofrem com os impactos da crise. Só na nossa categoria, cerca de 4 mil jornalistas tiveram redução de salário e de jornada durante a pandemia, de acordo com levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ). Segundo o estudo, nas nas bases de 16 Sindicatos do país, outros 81 jornalistas tiveram seus contratos de trabalho suspensos e 205 foram demitidos.

O Sindjor/MS entende que todos esses dados são alarmantes, e por isso, tanto o lockdown para conter a disseminação do vírus, bem como a adoção de medidas mais abrangentes de ajuda econômica para mitigar os efeitos da crise, e assim, possibilitar que pequenos empresários e trabalhadores possam continuar em casa durante este período, são indispensáveis neste momento.