• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Nova Andradina

Jovem é morto em confronto policial

Rapaz havia executado a tiros um diretor de escola em 2012

(Foto: Reprodução/PCMS)

Um jovem de 26 anos morreu na madrugada desta quarta-feira (19) em Nova Casa Verde, distrito a 56 quilômetros de Nova Andradina.  Segundo o site Jornal da Nova, Jonas Lázaro Gonçalves Bonfim, que era natural de Bataguassu foi a óbito durante uma intervenção policial de combate ao tráfico de drogas.

Segundo o Jornal da Nova, o rapaz foi socorrido e encaminhado para o hospital, mas não resistiu. Ele teria reagido durante buscas na borracharia onde trabalhava.

Policiais civis e militares estão em Casa Verde apurando. Hoje de manhã, a Perícia Criminal estava no local, que fica na avenida Nova Andradina, via paralela a MS-134.

Antecedente – Em 28 de junho de 2012, Jonas executou a tiros o professor e diretor Delmiro Salvione Bonin, de 55 anos. Conforme o Jornal da Nova, ele ficou custodiado e  saiu no dia 17 junho de 2014, da Unei (Unidade Educacional de Internação) Laranja Doce de Dourados.

À época, o acusado era menor e foi apreendido no dia 2 de julho de 2012, antes de completar dois anos na Unei, ele foi liberado pelo Juiz da Unidade Educacional por bom comportamento entre outras exigências durante sua internação, onde passou por avaliações psicológicas.

Jonas Bonfim tinha 16 anos e teria efetuado cinco disparos de arma de fogo contra o diretor da Escola Municipal Luis Claudio Josué, localizada no distrito de Nova Casa Verde, o professor Delmiro Salvione Bonin, que foi socorrido até o Hospital Cassems em Nova Andradina, mas não resistiu.

Na madrugada de dois de julho de 2012, o menor se entregou na Delegacia de Polícia em Nova Andradina e teria dito que se entregou para “consertar o erro de ter matado o diretor”, ainda segundo o adolescente, ele disse que não sabia o nome de Delmiro, só sabia que era o diretor da escola.

Conforme o Jornal da Nova,  em depoimento, Jonas informou que  teria praticado o crime, por que no mês de março daquele ano, teria desferido uma facada em um aluno, depois disso ele não mudou de escola, mas de horário, de manhã para o período vespertino, e ficou definido que ele teria que estudar, mas não soube dizer quem teria definido e quando voltou a estudar, segundo o adolescente, os alunos entravam as 11h40, enquanto ele tinha que entrar 12h, segundo ele era determinação do diretor da escola.

De acordo com o Jornal da Nova, o adolescente ainda declarou que não teria gostado da atitude, onde via os alunos entrando e ele ter que ficar esperando o seu horário para entrar, e ainda quando ele iria ao banheiro ou beber água, qualquer dois minutinhos o diretor não deixava e dizia para ele, “com você não tem mais jeito, vai para a sala de aula” e isso segundo o adolescente, estava lhe estressando.

Veja Também