• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record

Ex-secretário preso por corrupção vai para prisão domiciliar

O ex-secretário estadual de Obras em Mato Grosso do Sul, Edson Giroto, conseguiu prisão domiciliar. Ele está no complexo penal de Campo Grande em regime fechado há mais de dois anos por corrupção. Nesta segunda-feira (30) uma decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região liberou Giroto para cumprir pena em casa.

A defesa do ex-secretário argumentou ao TRF que ele se enquadra nas resoluções do Conselho Nacional de Justiça sobre as liberações de presos devido à pandemia de covid-19. Ele está no grupo de risco da doença porque tem mais de 60 anos de idade, "é portador de hiperplasia prostática, que afeta sua imunidade de modo substancial; faz tratamento para controle do nível de triglicerídeos, possuindo colesterol alto e hipertensão arterial; e está em estabelecimento prisional com grande população carcerária".

Outro argumento da defesa é de que Giroto não cometeu crime de grave ameaça à pessoa, tem trabalho lícito, residência e família constituídas em Campo Grande. O desembargador federal Paulo Fontes, acatou o pedido da defesa.

O magistrado determinou que o ex-secretário fique em casa, saindo apenas com autorização judicial e que comunique à Justiça em caso de mudança de endereço. Giroto estava cumprindo pena pela condenação de 9 anos, 10 meses e 3 dias de reclusão em regime fechado por corrupção.