• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record

Prova de seleção para residência judicial será dia 20 de junho

Primeira etapa do processo seletivo será uma prova objetiva com 50 questões de múltipla escolha

(Foto: Divulgação)

Está publicado no Diário da Justiça desta terça-feira, dia 1º de junho, o edital, assinado pelo diretor-geral da Ejud-MS, Des. Dorival Renato Pavan, com o resultado preliminar das inscrições e convocação para a prova objetiva seletiva do 2º Processo Seletivo de ingresso no Programa de Residência Judicial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a publicação, os candidatos com inscrições deferidas, constante deste Edital, estão convocados para a prova objetiva seletiva, a ser realizada no dia 20 de junho (domingo), das 8 às 11 horas (horário MS), na Faculdade INSTED - Instituto Avançado de Ensino Superior e Desenvolvimento Humano, situada na Rua 26 de agosto, nº 63, Centro, em Campo Grande.

O candidato deverá comparecer ao local designado para a realização da prova com antecedência mínima de meia hora do horário fixado para o seu início, munido de caneta esferográfica de tinta azul ou preta e de um documento de identidade original, legível que o identifique, bem como observar os demais termos dispostos no Edital de Abertura das Inscrições, com atenção especial às normas sanitárias vigentes de prevenção à Covid-19 dos órgãos públicos reguladores.

Saiba mais – A primeira etapa do processo seletivo será uma prova objetiva com 50 questões de múltipla escolha, de caráter eliminatório e classificatório, com as matérias constantes no Edital de Abertura, e a segunda etapa será Prova de Títulos, apenas de cunho classificatório.

A Residência Judicial é constituída pelas etapas Residência I, Residência II e Residência III, com carga horária de 20 ou 30 horas semanais, com duração máxima de um ano para cada etapa. Parte das atividades será cumprida em gabinete, supervisionadas por um magistrado orientador, e a outra será cumprida sob a responsabilidade da Esmagis ou outra instituição de ensino conveniada, em sistema presencial e/ou EaD.

Além da prática jurídica, o residente deverá frequentar o curso de preparação para a magistratura da Esmagis ou outro curso específico, oferecido pela mesma instituição, ou em curso de pós-graduação oferecido por outra instituição de ensino que tenha manifestado interesse em participar do programa.

Ao término da participação no programa, o Residente Judicial receberá certificado expedido pelo Tribunal de Justiça, valendo como prova de atividade jurídica. O preenchimento das vagas serão realizados de acordo com a disponibilidade financeira e orçamentária.

Foram reservadas vagas para pessoas portadoras de deficiência, negros e indígenas nos termos da legislação vigente.

Confira no arquivo anexo ao lado a íntegra do Edital n. 152.740.049.0003/2021.