• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Ajustes no projeto

Após acordo, governador devolve projeto sobre carreiras das polícias ao Legislativo

Propostas do Poder Executivo tinham sido encaminhadas junto com o pacote de reajuste salarial

(Foto: Marco Miatelo)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) elaborou projeto com modificações nas carreiras dos servidores da Polícia Militar, Civil e Corpo de Bombeiros. As proposta foram entregues na tarde desta quinta-feira, 25 de Novembro, na Assembleia Legislativa.

Reinaldo havia retirado três projetos de tramitação nesta semana para fazer as adequações. "Houve a necessidade de mexer em tabelas e quando se fala em tabelas tem que se partir do Executivo. Ajustamos discussões e pedidos das categorias, dos representantes legais e hoje eles estão validando o que estamos devolvendo", explicou.

Conforme o governador, a mudança principal foi no interstício de tempo que foi debatido com os comandantes gerais. "Houve uma certa resistência de partes dos policiais, por isso retiramos o projeto sentamos novamente para discutir sem ferir a lei de responsabilidade fiscal e chegamos a um acordo", explicou Azambuja.

Resumo das negociações- Redução de interstício para promoção: Soldado: de 8 anos para 7anos.
Cabo: de 6 anos para 5 anos.
Para as duas graduações a alteração dos critérios do mérito intelectual de 20% mérito de 80% para antiguidade.

O tempo de permanência de agentes e peritos no cargo para mudança de classe passará de 5 para 4 anos.

A proposta original previa previa 24 anos para que os agentes atingissem a classe especial — última classe da categoria. Na nova proposta, o tempo caiu para 21 anos.

Ficou estabelecido que às promoções por antiguidade que estiverem em transcurso serão aplicadas as regras antigas; somente depois, disso que as demais promoções serão regradas pelos novos requisitos.

As propostas tinham sido encaminhadas na semana passada, dentro do pacote de reajuste salarial e reforma de algumas carreiras funcionais.

Agora, elas terão a tramitação retomada no Poder Legislativo.

Veja Também