• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Homicídio

Suspeitos de matar mulher a pedradas se apresentam na delegacia

Autores de 21 e 22 anos, relataram que agiram em legítima defesa

Autores do crime se apresentaram na 7ª DP (Foto: Luiz Alberto)

Suspeitos de matar Edvani Cardoso dos Santos de 44 anos de idade, se entregaram nesta quinta-feira, 20 de Janeiro, na Sétima Delegacia de Polícia de Campo Grande (7ª DP). A vítima foi morta a pedradas na madrugada da última terça-feira (18) na rua Lico Barcelos, no bairro Zé Pereira na Capital.

Os autores de 21 e 22 anos de idade estão sendo representados pelo advogado, Tié Hardoim. De acordo com ele, seus clientes reagiram em legítima defesa. "Na data, eles discutiram com a vítima, pois, a mesma teria os agredido com uma garrafa de vidro. Para cessar a briga, o jovem de 21 anos, jogou uma pedra na mulher apenas para se defender que infelizmente levou a óbito dessa senhora", disse o advogado.

"Os meninos não tinham a intenção de matar, apenas atacaram a pedra e souberam da morta de Edvani no dia seguinte. Para provar sobre a discussão, o rapaz de 21 anos, estava com lesões nos braços e na barriga que ocorreu no dia do fato".

Conforme as informações, a vítima seria usuário de drogas e possivelmente os suspeitos também. Indagado sobre se seus clientes são usuários, o advogado disse não ter conhecimento.

Com apresentação espontânea dos dois, eles irão responder o crime em liberdade. A dupla não tem passagem pela polícia.

Advogado de defesa Tié Hardoim
(Foto: Luiz Alberto)

O caso – Edvani Cardoso dos Santos de 44 anos de idade, foi gravemente morta por pedradas madrugada de terça-feira (18) na rua Lico Barcelos, no bairro Zé Pereira na Capital.

Na rua onde o crime aconteceu ainda é possível ver pedras quebradas que ficaram espalhadas no chão, após o crime. De acordo com as informações de vizinhos, o Serviço de Urgência e Emergencial (SAMU) foi acionado, mas vítima não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Civil foi acionada e esta investigando o caso e procura pelo suspeitos que até o momento não foram

Segundo relatos dos vizinhos, a vítima não morava naquela rua. Edvani seria usuário de drogas e possivelmente os suspeitos também.

O caso segue em investigação.

Marcas de sangue ficaram no local do crime
(Foto: Luciano Muta)
Veja Também