• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Operação Independência

PF deflagra a operação Independência na manhã desta quarta-feira

PF investiga desvio de recursos públicos em reforma de praça em Corumbá, no valor de R$2 milhões

(Foto: Luciano Muta)

Na manhã desta quarta-feira (12), a Polícia Federal deflagrou a Operação Independência em Campo Grande, que visa combater o desvio de recursos públicos na reforma de uma praça em Corumbá, Praça da Independência. A obra custou cerca de R$2 milhões.

Policiais saíram de um prédio de luxo na Rua Antonio Maria Coelho, próximo ao Parque das Nações Indígenas, com malotes. Segundo informações, este prédio pertence ao ex-prefeito de Corumbá, Paulo Duarte (MDB). Na Capital, uma das equipes da PF amanheceu no edifício Grand Palais, de onde saiu com documentos e um computador.

(Foto: Luciano Muta)

A operação visa cumprir oito mandados de busca e apreensão em casa de empresários e funcionários públicos envolvidos na administração dos anos de 2013 a 2016 no interior.

Praça da Independência em Corumbá (Foto:Divulgação/Portal do MS)

Em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU), a operação cumpre oito mandados de busca e apreensão em Corumbá e na Capital, contra empresários e funcionários públicos ligados à administração municipal de 2013 a 2016, período em Paulo Duarte foi prefeito de Corumbá.

Conforme as investigações, o grupo teria sido favorecido  em licitação, além de não ter entregue, ou ter entregue apenas em parte da obra de reforma da Praça Independência. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Corumbá.

Segundo informações, a obra foi executada pela empresa C.C. Ferreira Lopes &Cia Ltda, que tem sede em Corumbá. O contrato entre a Fundação do Instituto do Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico de Corumbá e a empresa foi publicado em 8 de junho de 2015.

(Foto: Luciano Muta)

Conforme a CGU, foram identificadas restrições à competitividade do certame, indicativo de fraude processual, falsidade ideológica e a existência de vínculos entre integrantes da empresa contratada e agentes públicos municipais diretamente relacionados com a contratação e a execução da obra.

Com 21 metros quadrados, a praça foi construída pelo paisagista francês Auguste François-Marie Glaziou, e na época, representou o status de modernidade para a “Cidade Branca”. A reportagem não conseguiu contrato com a empresa.

Os investigados poderão responder por crime de peculato e frustração de caráter competitivo do processo licitatório. O nome da operação é alusivo à Praça Independência, centenária e localizada no Centro de Corumbá.

(Foto: Luciano Muta)