• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Operação Stalking

Homem acusado de ”Stalking” é preso com 2,5 mil fotos com conteúdo pornográfico

A Polícia Civil identificou que o investigado utilizava-se, de perfis falsos, com o nome de “Anderson”, “Gustavo” e “Luan”

Jadson Guilherme Penha, de 26 anos / Imagens: Redes sociais

"Operação Stalking” da Polícia Civil cumpriu mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão contra um homem que aliciava, perseguia e ameaçava divulgar fotos íntimas de adolescentes para obrigar vítimas a se relacionarem com ele.

Na tarde desta segunda-feira (7), a Delegacia Regional de Polícia Civil de Bataguassu, por meio da Delegacia de Anaurilândia deflagrou, a “Operação Stalking” que culminou na prisão de Jadson Guilherme Penha, de 26 anos, acusado de aliciar, perseguir, ameaçar adolescentes e de possuir ou armazenar cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. Ele já morou em Batayporã e Nova Andradina, inclusive na Cidade Sorriso tem passagem policial por violência doméstica.

De acordo com as investigações, o suspeito, após criar uma conta falsa no Facebook, e ter se passado por terceira pessoa, teria obtido fotos com conteúdo de nudez de uma adolescente, de 15 anos, e teria passado a ameaçar divulgar as fotos, caso esta não mantivesse um relacionamento amoroso e mantivesse relações de natureza sexual com o investigado.

No mês passado, o investigado se utilizando das ameaças de divulgação das fotos, conseguiu marcar encontro pessoal com a adolescente, em local ermo da cidade, obrigando a adolescente a beijá-lo. Ocasião em que teria tentado ainda manter relação sexual, tirando o short da vítima, fato que só não se concretizou por ter a vítima gritado, momento em que conseguiu fugir do local.

Após o encontro frustrado, o Jadson continuou ameaçando a adolescente de divulgar a referidas fotos, via aplicativo de WhatsApp, até que a adolescente procurou a Delegacia de Polícia para registrar uma ocorrência narrando o ocorrido.Operação foi deflagrada em Anaurilândia

A Polícia Civil conseguiu identificar o suspeito, como sendo o mesmo homem que no ano de 2018 teria criado um perfil falso e tentado se passar por um médico da cidade, para solicitar fotos íntimas de mulheres residentes naquele município.

Durante a investigação apurou-se que o criminoso se utilizava deste mesmo modus operandi para aliciar outras adolescentes residentes em Anaurilândia. Primeiro o indivíduo abordava via rede social a pretensa vítima, utilizando-se de um nome fictício, inclusive utilizando fotos de terceiros, após obter a confiança das vítimas e conseguir fotos íntimas, passava a coagi-las com o intuito de forçá-las a se relacionarem com o suspeito sob a ameaça de divulgar as fotos obtidas em grupos da cidade. 

Uma das vítimas do suspeito teria sido aliciada quando ainda tinha apenas 11 anos de idade, e diante da recusa em se relacionar com o suspeito, a fotos da vítima teriam sido divulgada em grupos de aplicativo via WhatsApp, fato que restou apurado durante as investigações pela Polícia Civil. Da mesma forma, restou apurado que outras adolescentes estariam sendo vítimas de ameaça do suspeito, mas que não teriam procurado a Delegacia por medo represálias do suspeito que dizia que não tinha medo de ser preso.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva, foi apreendido o aparelho celular do suspeito, o qual foi acessado conforme autorização judicial, ocasião em que foi constatado vasto material de pornografia infantil armazenado no referido aparelho, com fotos de adolescentes com idades aparentes entre 12 e 15 anos de idade, aproximadamente 2,5 mil fotos com conteúdo pornográfico, sendo a grande maioria relacionada a adolescentes. Durante a análise preliminar do conteúdo do aparelho celular, também foi possível constatar elementos dos crimes cometidos contra as adolescentes vítimas de 15 e 12 anos de idade, que ocasionaram a expedição de mandado de prisão preventiva contra o investigado, bem como prints de conversas em que o investigado ameaçava divulgar as fotos íntimas de adolescentes caso não aceitasse manter relacionamento amoroso com o investigado. Suspeito foi preso preventivamente.

Diante do conteúdo encontrado no aparelho celular, o investigado também foi autuado em flagrante pelo crime de possuir ou armazenar fotografia ou vídeo que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescentes. Todo o material será periciado, no momento as investigações continuam para apurar se todas as fotos foram obtidas através dos perfis falsos criados pelo investigado ou se parte delas foram recebidas de terceiros, fato que também configura crime.

A Polícia Civil identificou que o investigado utilizava-se, de perfis falsos, com o nome de “Anderson”, “Gustavo” e “Luan” e se coloca à disposição de outras vítimas que por ventura ainda não procuraram as autoridades por medo de divulgação das fotos.

O investigado foi indiciado pelos crimes de ameaça, estupro qualificado na forma tentada, falsa identidade, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia ou vídeo que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente, aliciar criança para a prática de ato libidinoso e perseguição contra adolescente, após a conclusão dos procedimentos, o investigado foi transferido para o presídio onde permanecerá à disposição da Justiça.

(Com informações Jornal da Nova )

Veja Também