• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto

Polícia

Advogada é suspeita de envolvimento em atentado contra prefeito

Liz López teme por sua vida por não ter sido ouvida na delegacia; polícia fez buscas na casa dela

Sexta-feira, 20 Maio de 2022 - 16:34 | Redação


Advogada é suspeita de envolvimento em atentado contra prefeito
Liz López é assessora jurídica da suspeita presa ontem (Foto: Reprodução)

Advogada, Liz López foi detida na manhã desta sexta-feira, 20 de Maio, durante a operação que busca localizar os autores do atentado que tinha como alvo o prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo na última terça-feira (17).

A Polícia Paraguaia realizou uma busca na casa da advogada no bairro Maria Victória. Ela é assessora jurídica de Mirta Raquel López Benítez presa na quinta-feira (19). Mirta é viúva do narcotraficante Fernando Javier Lezcano Giménez, vulgo Gordo que foi assassinado a tiros no dia 16 de Dezembro de 2017 na fronteira. No mesmo dia, o amigo dele, Oscar Marcial Franco, vulgo Sapo, também foi morto.

A pistola Glock 17 usada no atentado contra o prefeito era de Fernando. Nos últimos dias antes de ser executado, ele andava armado, pois, já havia sofrido um ataque. Após o crime, a arma de fogo foi entregue para sua esposa. Porém, segundo os familiares da mulher a arma nunca foi entregue para a mesma.

De acordo com eles, a arma de fogo foi apreendida pela polícia e nunca foi devolvida para Mirta. E, lembraram que não puderam retirar o objeto mesmo com o registro. Desta forma, é investigado como essa arma chegou nas mãos dos autores do atentado contra José Carlos, já que em tese a pistola foi enviada para a Diretoria de Material de Guerra (DIMABEL).

Já na Delegacia, Liz diz temer por sua vida. "Desde ontem estou aqui e não me deixam prestar depoimento. Estou com medo, temo pela minha vida. Não sei o que está acontecendo, mas ainda não me ouviram. Não tenho $ 50.000 para pagar e ser liberada".

A Defesa de Liz, Denis Echagüe relatou que estão dizendo que ela vendeu a arma e está sendo exposta. "Ela espera que o Ministério Público possa levar seu depoimento", mencionou.

Operação de quinta-feira (19) – Vilma Macchi, viúva de Morales, mãe do criminoso Gregório Papo Morales foi presa durante uma operação nesta quinta-feira, 19 de Maio, para localizar os autores do atentado que tinha como alvo, o prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo na última terça-feira (17). A irmã de Gregóio, Silvana Morales também está sendo procurada.

Conforme o site Diário Hoy, um teste de balística determinou que uma das pistolas usadas para atacar o político é uma Glock 17. A arma de fogo estava com o guarda-costas da família Morales.

Além disso, foi feito uma batida na casa Mirta Raquel López Benítez que também foi presa. Ela é viúva do narcotraficante Fernando Javier Lezcano Giménez, vulgo Gordo que foi assassinado a tiros no dia 16 de Dezembro de 2017 na fronteira. No mesmo dia, o amigo dele, Oscar Marcial Franco, vulgo Sapo, também foi morto.

Um homem chamado Bruno Aníbal Lezcano foi transferido para interrogatório na Polícia Nacional de Amambay.

Já em outro bairro, foram apreendidos também 31 pentes de armas de fogo: 27 para pistola 9mm e quatro para armas 765mm.

O caso — O prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, foi vítima de um atentado nesta tarde de terça-feira, 17 de Maio, quando deixava a Prefeitura da cidade.

Conforme as informações, José estava conversando com um jornalista, quando o autor chegou e efetuou 10 disparos de arma de fogo contra a vítima. Após o crime, o homem fugiu a pé.

A vítima tentou correr, mas caiu e foi atingido com tiros na cabeça. Ele foi socorrido em estado grave e encaminhado para um hospital particular. Já o jornalista, não ficou ferido.

A Polícia está no local e investiga o caso.