• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pantanal

“Situação chocante, em torno de 4 a 5 mil jacarés”, diz pesquisadora

Pesquisadora da Embrapa foi até açude onde pantaneiro gravou vídeo com amontoado de jacarés

Jacarés são filmados amontoados em açude que secou (Foto: Reprodução Vídeo)

Zilca Campos, pesquisadora da Embrapa Pantanal, viajou quase 5 horas para chegar em uma fazenda localizada no Pantanal da Nhecolândia, em Mato Grosso do Sul, onde foi gravado um vídeo de jacarés amontoados no açude praticamente seco. Nesta quinta-feira (19), ela classificou a situação como “bem chocante porque são muitos jacarés, em torno 4 a 5 mil jacarés reunidos”.

Segundo Campos, os jacarés em um comportamento de sobrevivência se enterram na lama ou nas folhagens no interior da mata para resistirem o período mais seco. “Eles se enterram na lama do açude, mas o aquecimento das águas causa a morte dos jacarés”, explica a pesquisadora.

A região da Nhecolândia tem uma população estimada pela Embrapa Pantanal de cerca de 3 milhões de jacarés adultos em anos de grandes cheias, entre as décadas de 1980 a 1990. No entanto, Zilca Campos lembra que o jacaré-do-pantanal vive em altas densidades devido a disponibilidade de ambientes aquáticos e alimento, mas com o período seco que a região atravessa, eles se concentram porque é a única opção de ambiente com água disponível.

Para minimizar o problema, a pesquisadora afirma que “os produtores precisam ajudar com medidas para aumentar os açudes e ofertar água, com a perfuração de poços”.

“No período de seca, os jacarés concentram em corpos de água remanescentes. Todavia, as inundações têm diminuído e os ambientes aquáticos têm secado. Este ano, a estiagem tem sido severa causando aumento das taxas de mortalidade dos jacarés”, diz Campos.

Vídeo – No vídeo, gravado no dia 15 de novembro, os jacarés aparecem quase imóveis. Cobertos por lama, eles se amontoam para aproveitar o pouco de “água barrenta” que sobrou no açude praticamente seco no meio do Pantanal, em Mato Grosso do Sul. O fenômeno foi registrado na fazenda Palmerinha, região da Nhecolândia.

Assustado, o pantaneiro que fez as imagens descreve uma “imensidão de jacarés” e afirma que é algo novo para ele. ““Tenho quantos anos de Pantanal, nunca vi tantos jacarés num lugar só”.

Ao redor, o barulho do rebanho do gado e os bezerros que ficaram atolados no açude, sendo resgatados.

Segundo pesquisadores, esta é a pior seca dos últimos 50 anos que atinge a região.

Veja Também