• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pandemia

Protesto de comerciantes contra o toque de recolher chega à governadoria

Empresários querem flexibilizar decreto estadual que impôs toque de recolher das 20h às 5h em MS

Manifestantes na governadoria, no Parque dos Poderes (Foto: Marco Miatelo)

Em uma manifestação pacífica, comerciantes de Campo Grande (MS) marcaram presença na governadoria e prefeitura da Capital na tarde desta sexta-feira, 12 de Março.

Eles protestam contra o decreto estadual que impôs toque de recolher das 20h às 5h em todo Mato Grosso do Sul por 14 dias a partir do próximo domingo, 14 de Março.

Os empresários alegam que terão grandes prejuízos neste período e que a ampliação do horário de recolhimento obrigatório não é eficiente para conter o avanço da Covid-19.

O primeiro ponto do protesto foi a prefeitura. Em coro, os empresários bradaram por uma solução para poderem trabalhar. Os manifestantes não foram recebidos, mas conseguiram agendamento de uma reunião para a próxima segunda-feira, 15 de Março.

Depois, seguiram em carreata até a governadoria, no Parque dos Poderes. No local, uma comissão de comerciantes foi recebida por representantes do governo estadual.

Contudo, até a publicação desta matéria, não havia sinalização de que o governo poderia flexibilizar o decreto. A medida foi tomada devido ao aumento da ocupação de leitos hospitalares em todo Estado.

O decreto também restringiu o horário de funcionamento dos estabelecimentos aos sábados e aos domingos. O novo horário permitido 5h às 16h. Veja aqui o decreto estadual.

Em Campo Grande, o toque de recolher já está em vigor há meses, porém, com apenas seis horas. Atualmente, o horário do recolhimento obrigatório é das 23h às 05h.

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou o cumprimento integral do decreto estadual e defendeu a medida.

“Ainda não consigo entender a resistência de alguns a esse decreto. O objetivo é salvar vidas (...) Comerciantes são afetados, mas têm que dar uma cota de contribuição para que as pessoas vivam”, defendeu durante entrevista ao vivo ao programa Cidade Alerta MS na noite desta quinta-feira, 11 de Março.

Ineficiente - Um comerciante ouvido pelo Diário Digital informou que os lojistas consideram o decreto que amplia o toque de recolher em três horas ineficiente. Para eles, é preciso aumentar a fiscalização das medidas de biossegurança e o número de leitos hospitalares.

“Queremos a mudança das regras para que não prejudique os bons e punir quem não está cumprindo. Além da análise que fizemos que a redução do toque não funcionou em outros estados. Queremos aumento de leitos, maior fiscalização diurna e noturna. Proteger vidas e Economia”, argumentou.

Veja Também