• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Economia

Expectativa para inflação sobe pela 35ª vez e encosta em 10,2%

Se confirmada, previsão corresponde quase ao triplo da meta estabelecida pelo governo para o IPCA deste ano

(Foto: Divulgação/ R7.com/Arquivo)

Os economistas do mercado financeiro consultados semanalmente pelo BC (Banco Central) elevaram, pela 35ª semana seguida, suas previsões para a inflação de 2021.

Conforme as estimativas divulgadas nesta segunda-feira (6), a aposta atual é que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) feche o ano em 10,18%.

Na semana passada, as apostas eram que a inflação terminaria o ano em 10,15% e, há quatro semanas, em 9,33%.

Caso a nova expectativa seja confirmada, a inflação chegará ao fim de 2021 perto do triplo da meta estabelecida pelo governo para o ano, de 3,75%, com margem de tolerância de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%).

Para 2022, a previsão para o índice oficial de preços subiu pela 20ª semana consecutiva, de 5% para 5,02%, aposta já acima do teto da meta definida para o ano que vem. Já para 2023, as previsões avançaram de 3,42% para 3,5%, A aposta para 2024 ficou mantida em 3,1%.

Com a previsão de maior alta nos preços, a expectativa para o dólar passou a ser de R$ 5,56, ante R$ 5,50 previsto nas semanas anteriores. Para os preços administrados, tais como energia e combustíveis e planos médicos, a expectativa é de alta de 17,03% neste ano.

(Com informações: R7.com)

Veja Também