• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Campo Grande

Câmara inicia medidas de exoneração de assessor preso com cocaína

“Não compactuo com isso”, diz presidente da Câmara sobre conduta de assessor parlamentar

(Foto: Divulgação)

A Câmara Municipal de Campo Grande informou no final da manhã desta quarta-feira (5) que já iniciou as medidas de exoneração do assessor parlamentar do vereador Ademir Santana (PSDB), Robson José Ximenes, encontrado ontem (4) com 41 quilos de cocaína avaliada em R$ 1 milhão no Bairro São Conrado, em Campo Grande.

Conforme nota divulgada à imprensa, a Câmara afirma que trabalha para efetivar o desligamento do assessor. O presidente da Casa de Leis, vereador Carlos Augusto Borges (PSB), conhecido como "Carlão", diz não compactuar com as ações do assessor parlamentar.

"O cara está aprontando, estragando o vereador e o trabalho. Não concordo. Vai ser exonerado imediatamente. Não pode acontecer, ele com cargo de assessor e aprontando rolo. Não compactuo com isso. Enquanto eu for presidente, qualquer ato desse, se o vereador não concordar, eu mesmo exonero", afirmou em nota.

Presidente da Casa de Leis, vereador "Carlão" - (Foto: Arquivo/DD)

Confira nota na íntegra:

A Câmara Municipal de Campo Grande comunica a todos que já iniciou as medidas necessárias para a exoneração do servidor Robson José Ximenes, assessor lotado no gabinete do vereador Ademir Santana, preso por policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar por conta de envolvimento em ato ilícito flagrado na noite desta terça-feira.

O presidente da Casa de Leis, vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão, destaca que o assessor será exonerado imediatamente e as medidas cabíveis já estão sendo tomadas. O pedido também já foi feito pelo vereador Ademir.

"O cara está aprontando, estragando o vereador e o trabalho. Não concordo. Vai ser exonerado imediatamente. Não pode acontecer, ele com cargo de assessor e aprontando rolo. Não compactuo com isso. Enquanto eu for presidente, qualquer ato desse, se o vereador não concordar, eu mesmo exonero", afirmou Carlão.

"Lamentamos a situação e ficamos surpresos com fato, confiamos no trabalho da justiça e das autoridades policiais", disse à imprensa. Os 40 quilos de cocaína estavam na residência do funcionário do político, no São Conrado, bairro em que Ximenes é presidente.

Entenda o caso - O assessor e outro homem, de 32 anos, foram presos na noite desta terça-feira cocaína avaliada em R$ 1.037 milhão. O presidente do bairro negou a posse da droga e jogou a culpa no comparsa.

O homem informou que era funcionário do assessor e relatou ter sido acionado para duas caixas de doações no período da tarde no Bairro Santa Luzia e descarregaram na casa do presidente, momento em que foram abordados. Os dois foram presos em flagrante.

Robson teria, inclusive, oferecido vantagens para que o comparsa assumisse a autoria da droga. Ele prometeu cargo comissionado na Câmara Municipal para a esposa do homem.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Centro Integrado de Polícia (Depac-Cepol).

Veja Também