• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Incêndio

Tapeçaria é notificada e interditada por irregularidade

"Trabalho difícil e triste, no local só havia entrada e não tinha saída", lamenta major

Perícia chegou no local pela manhã (Foto Luciano Muta)

"Trabalho difícil, dolorido e triste", expressou o major do Corpo Bombeiros, Fábio Pereira Lima, durante o trabalho de busca para encontrar a vítima do incêndio ocorrido na tapeçaria, na noite de ontem (23), na região central de Campo Grande.

Na manhã desta quarta-feira (24), o major disse que o objetivo era encontrar o trabalhador com vida. " No local havia muita fumaça e muita carga de incêndio, fogo consumiu tudo muito rápido. Foram quase 7h de trabalho para encontrar o corpo do jovem que estava escondido nos fundos, não tinha saída, quase impossível escapar alguém com vida", lamenta.

No local há muita sujeira (Foto Luciano Muta)


Há ainda muita sujeira e cheiro forte de queimado no local. Conforme o major, as primeiras informações são de que os funcionários estariam brincando com fogo, versão essa, que será investigada. Ainda de acordo com o Fábio Lima, a tapeçaria está com documentação irregular. " O local está notificado, interditado e lacrado, está com risco de romper a qualquer momento, além disso não tinha nenhum dispositivo de segurança', afirmou. Segundo o major foi aplicado uma multa de 200 Uferms, o que equivale a R$ 8.512.

Major do Corpo de Bombeiros (Foto: Luciano Muta)


O delegado que assumiu as investigações, Guilherme Rocha, chegou no local na manhã desta quarta-feira (24), juntamente com a perícia. " O óbito foi registrado como morte a esclarecer. O Corpo de Bombeiros liberou para iniciar o trabalho de perícia, vamos analisar onde e como o fogo começou e as causas da morte. Tem 10 dias para concluir o laudo talvez prorrogue esse tempo", adiantou o delegado.

Delegado responsável pelas investigações (Foto: Luciano Muta)