• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Rio Brilhante

Polícia Civil apura ameaça contra vítima de estupro com participação de advogado

Mediante ameaça, mulher teria assinado documento negando que foi vítima de estupro

Policial chega na Delegacia com material apreendido durante operação (Foto: OLimar Gamarra/Rio Brilhante em Tempo Real)

A Polícia Civil apreendeu na manhã desta quarta-feira (5) na casa e no escritório do ex-prefeito de Rio Brilhante, Sidney Foroni, celulares e computadores. Ele é um dos advogados acusados de coagir uma vítima de estupro para seu cliente.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, na casa e no escritório do advogado. O cliente dele está foragido desde julho, quando ocorreu o estupro, sendo que após o crime o autor acompanhado do filho e de Foroni foram até a casa da vítima e a coagiram com uma arma apontada para a cabeça dela a assinar um documento desmentindo que foi estuprada por Gilson.

O computador do escritório de Foroni, assim como, seu celular foi apreendido para ser analisado, já que o documento redigido para que a vítima assinasse estaria arquivado no computador. O filho de Foroni está preso desde o fim do mês de julho. Já Gilson está foragido e a polícia procura por ele.

A Polícia Civil de Rio Brilhante divulgou uma nota oficial sobre operação desencadeada tendo como alvos advogados em Rio Brilhante. De acordo com a Polícia Civil foram cumpridos mandados judiciais de busca e apreensão contra grupo de advogados, investigados por coagir vítima de violência doméstica

Segundo a nota, "de acordo com as investigações, a vítima que teria sido mantida em cárcere privado, bem como sofrido lesões corporais e estupro por seu ex-namorado que ainda se encontra foragido, foi ameaçada novamente e coagida a alterar a versão que apresentou, no momento em que comunicou os fatos. Por medo, a vítima teria, inclusive, assinado sem ler, uma procuração a um advogado e uma petição dizendo que teria sido pressionada pelos policiais e seus familiares a mentir".

Ainda de acordo com a nota oficial "a equipe de investigação, percebendo tal situação, conseguiu oferecer o suporte a vítima e seus familiares para que a vítima se sentisse novamente acolhida e comunicasse as novas ameaças sofridas. Com os elementos colhidos, foram representadas pelas medidas de busca e apreensão em desfavor dos advogados, que tinham como objetivo angariar mais elementos que corroborassem a coação no curso das investigação e o conluio entre os advogados".

Veja Também
Correios
Farejadores encontram maconha e cocaína postadas por traficantes via Correios

A droga seria enviada para A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em uma ação conjunta com o Centro de Distribuição dos Correios (CDD) entre o Grupo de Operações com Cães (GOC/MS) e Setor de Coordenação de Segurança Corporativa da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, apreendeu diversas encomendas com drogas nesta quinta-feira (29), que seriam enviadas para os estados de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e até para Hong Kong