• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Costa Rica

Laudo confirma que criança de 3 anos foi estuprada por avô ferido em atentado

Menina teria dito que 'avôdrasto' teria mexido nela e que avó pedia para não contar para ninguém

ilvana Inácio Garcia morreu na hora e Elias Moreira segue internado (Foto: Reprodução/Rede Social)

A Polícia Civil de Costa Rica (MS) confirmou que uma criança, de 3 anos de idade, foi estuprada por Elias Moreira dos Santos, de 55 anos, através de laudo pericial. Acusado ficou ferido em um atentado contra ele e sua esposa, avó da pequena, Silvana Inácio Garcia, de 46 anos, que morreu na hora durante a madrugada de segunda-feira (13).

De acordo com o site MS Todo Dia, essa não é a primeira vez que Elias abusa sexualmente de crianças. Nos anos de 2009 e 2010, o homem já havia feito duas vítimas e, inclusive, respondeu pelos crimes. Ele deixou o presídio no ano passado, após ser condenado a pouco mais de 19 anos de reclusão.

No dia do crime, a criança teria dito para a mãe que o "avô" havia mexido nela e, que Silvana sabia de tudo e teria pedido para a menina não contar para ninguém. Após o relato, autor dos disparos, um adolescente, de 16 anos, foi até a casa do casal.

No local, o autor teria pedido para usar o banheiro. Neste momento, Elias teria virado de costas, então o autor sacou a arma e efetuou os disparos contra o homem. Após isso, entregou a arma para o outro envolvido, que realizou novos disparos contra Elias. Em seguida, os dois foram até o quarto e mataram Silvana com três tiros.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Costa Rica, Caique Ducatti, ao todo, quatro pessoas participaram do crime, sendo dois adolescentes de 16 e 17 anos, a mãe da criança, de 22 anos e um homem de 21 anos. "Apenas um dos suspeitos de ter participado do crime ainda não foi preso".

Na data, a mãe da menina e suposta mandante do crime ficou apenas assistindo, enquanto o outro envolvido ficou esperando para dar apoio na fuga. A criança era neta da vítima fatal, que acobertava o namorado nos abusos. Elias Moreira continua internado na Santa Casa da Capital.

O caso segue sendo investigado e todos os envolvidos podem responder pelos crimes.

Veja Também