• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pesca Predatória

Empresários paulistas são presos pescando em MS em plena Piracema

Além da prisão em flagrante, eles foram autuados e tiveram equipamentos de pesca apreendidos

No rancho foram apreendidos pescado que somaram 67 quilos (Foto: PMA/Divulgação)

Policiais militares ambientais de Rio Negro que trabalham na operação Piracema prenderam três empresários paulistas por pescar durante o período de defeso e ainda com petrechos proibidos. O flagrante aconteceu durante fiscalização fluvial no município.

Durante os trabalhos no rio, os policiais chegaram em um rancho de pesca a 15 km da cidade durante a madrugada e verificaram que havia atividade de pesca no local, inclusive, um barco à margem do rio, mas não havia ninguém. Os PM's esconderam a embarcação e ficaram à espera das possíveis pessoas que estariam praticando pesca durante a piracema

Próximo de clarear o dia, três pescadores chegaram em uma embarcação e foram abordados. Eles estavam com dois peixes e uma tarrafa (petrecho proibido) que tinham utilizado para capturar o pecado e tinham saído de madrugada para conferir anzóis de galho que tinham armado no rio. No freezer do rancho foram encontrados mais diversos exemplares de peixes frescos da espécie cachara, pesando junto com os que estavam no barco 67 kg.

O pescado, o freezer, mais dois barcos de alumínio, um motor de popa e a tarrafa foram apreendidos e os anzóis foram cortados. Os pescadores, dois empresários, de 39 e 45 anos, residentes em Mogi Guaçu (SP) e outro de 56 anos, residente em Aguaí (SP), receberam foz de prisão e foram conduzidos, juntamente com o material apreendido, à delegacia de Polícia Civil de Rio Negro, onde foram autuados em flagrante por crime ambiental de pesca predatória e saíram, há pouco às 18h30, depois de pagarem fiança de R$ 1.000,00 cada um. Se condenados poderão pegar pena de um a três anos de detenção e multa.

Os infratores também foram autuados administrativamente e foram multados em R$ 5.000,00 cada um. Com ele foram apreendidos: um barco, um motor de popa e um molinete com vara. O pescado será doado para instituições filantrópicas.