• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Atualização do Crime

Caso Chargista esquartejado: Juiz reavalia e mantém prisão da autora do crime

O chargista Marco Antônio Borges foi morto no dia 21 de novembro

Massagista foi presa no dia 24 de novembro de 2020 (Foto: Marco Miatelo/ Diário Digital)

Clarice Silvestre de Azevedo (45), teve prisão preventiva reavaliada nessa terça-feira, 29 de junho. Sobre decisão do Juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2 ª Vara do Tribunal do Júri.

O crime ocorreu em novembro do ano passado, em campo grande, após três dias do fato a massagista com quem o chargista Marcos Antônio tinha um relacionamento, foi presa em São Gabriel do Oeste- MS.

A reavaliação da prisão preventiva é feita a cada 90 dias. Mediante a decisão do Juiz, não há fato novo que justifique colocar a ré em liberdade. Com isso, foi mantida a prisão de Clarice, acusada do homicídio e ocultação de cadáver do chargista.

O CRIME - Marco Antônio Borges foi morto no dia 21 de novembro, no Bairro Monte Castelo, na casa de Clarice Silvestre, com quem tinha um relacionamento amoroso.

O assassinato dele foi descoberto no dia 24 de novembro, quando a massagista procurou a polícia e confessou o crime depois de três dias do desaparecimento da vítima.

O chargista foi morto a facadas, teve o corpo esquartejado, colocado em três malas e, em seguida, carbonizado.

As investigações apontam um homicídio qualificado por motivo torpe porque a vítima não queria assumir publicamente o relacionamento que tinha com a massagista.

Veja Também