• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record

MS registra quase 151 mil casos e 2,7 mil óbitos

Mesmo com a chegada da vacina, cuidados devem continuar para evitar a doença

Estado registra mais 24 mortes e 1,1 mil novos casos de coronavírus (Foto: Arquivo Diário Digital)

O otimismo causado pela aproximação da vacinação contra a covid-19 não pode diminuir os cuidados que devem ser tomados para evitar a propagação da doença, que continua com forte avanço em todo o Estado. “A vacina é um alento, mas a pandemia não acabou”, ressalta a secretária-adjunta da Secretaria de Estado de Saúde, Crhistinne Maymone.

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, do Governo do Estado, em apenas 24 horas, 446 casos novos da doença foram registrados, além de 12 óbitos pela doença. Os números apresentados hoje podem ser considerados parciais, uma vez que no final de semana algumas secretarias municipais de saúde não atualizaram os dados. Segundo a SES, há 5.948 casos sem encerramento nos sistemas pelos municípios.

Ao todo, são 150.944 casos confirmados de coronavírus em Mato Grosso do Sul e 2.686 mortes ocasionadas pelo vírus. Em tratamento, 12.196 pessoas estão isolamento domiciliar e 582 hospitalizadas.

Dos pacientes, 323 estão em leitos clínicos, com 209 na rede pública e 114 na rede privada e 259 em leitos de UTI, sendo 184 pelo SUS e 75 na rede privada.

Na macrorregião de Campo Grande, 81% dos leitos UTI/SUS estão ocupados, em Dourados, 77%, em Três Lagoas, 66% e em Corumbá, 79%.

Devido à viagem do titular da SES, Geraldo Resende, a São Paulo para a logística nacional de distribuição de vacinas, o boletim epidemiológico de hoje foi apresentado pela secretária-adjunta da SES, Crhistine Maymone e pelo diretor de Saúde e assessor técnico do Corpo de Bombeiros Militar na SES, coronel Marcello Fraiha.

“Ontem foi um dia simbólico para todo o Brasil. Seis milhões de vacinas serão distribuídas para o todo o país, com a definição da vacina. O nosso secretário Geraldo Resende foi até São Paulo, para hoje fazer o start inicial da vacinação. Trabalhamos com três pilares: primeiro a responsabilidade, depois a transparência e a segurança da informação prestada”.

A logística de distribuição foi explicada por Fraiha: “Há 10 meses iniciamos a testagem e temos agora um divisor de águas. A estratégia contará com a escolta dos caminhões da vigilância sanitária para otimizar a viagem e a distribuição ocorrer em, no máximo, 48 horas, a partir de amanhã, às 7h para que na quarta-feira, às 10h, inicie-se a campanha de imunização, bem como ofertar a segurança desses imunizantes”.

Veja Também