• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Projetos

Até 2022 Campo Grande ganhará novo CAPS para atendimento de dependentes de álcool e drogas

Novo Centro funcionará no antigo prédio do CAPS Infanto Juvenil, no bairro Guanandi e foi aprovado pela Sesau

Espaço no Guanandi abrigará novo CAPS AD na Capital (Foto: Divulgação/ Prefeitura)

A Prefeitura de Campo Grande (MS) conseguiu aprovação do Ministério da Saúde para abrir um novo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS -AD). O cronograma para adequar o espaço da unidade já foi estabelecido e ficará pronto até abril do próximo ano.

Com a nova unidade, o Município vai oferecer atendimento e tratamento mais adequados aos pacientes. Campo Grande é a terceira capital brasileira com o maior número de atendimentos psicossociais, segundo dados do Ministério da Saúde.

O novo Centro ficará no bairro Guanandi, onde funcionava o CAPS Infanto Juvenil antes de ser transferido para o Complexo em Saúde Mental, inaugurado em setembro. As mudanças necessárias na estrutura e adequação do espaço devem ser iniciadas ainda este ano. O projeto já foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde (Sesau).

Hoje, a Capital conta com um CAPS AD IV, que funciona 24h por dia, todos os dias da semana e possui 20 leitos de internação e o atendimento é feito por uma equipe multidisciplinas, formada por enfermeiros, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos, psiquiatras e terapeutas ocupacionais.

O Complexo em Saúde Mental de Campo Grande, abriga uma CAPS Afrodite Doris Conti, uma Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil (UAI) e o CAPS I.J. Também conta com residências multiprofissionais em saúde mental e médica em psiquiatria e o serviço de avaliação e acompanhamento de pessoas privadas de liberdade e de atendimento à população em situação de rua (Equipe Atenda).

A Rede de Saúde Mental do Município é composta por 6 CAPSs, sendo 4 CAPS III, 1 CAPS A.D IV, 1 CAPS Infanto Juvenil, 1 Unidade de Acolhimento e 3 Residências Terapêuticas. Pacientes com transtornos leves e moderados podem ser atendidos nas unidades básicas de saúde do Município (UBS/UBSF).

O Município também conta com 12 leitos contratualizados no Hospital Regional para atendimento de pacientes álcool e droga e 27 no Hospital Nosso Lar para pacientes com transtornos psiquiátricos.

(Com informações da Prefeitura)

Veja Também