• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto

Geral

Prefeito de cidade na fronteira está em estado grave após atentado

Político foi atingido por sete tiros; ele passou por cirurgia e segue em estado grave

Quarta-feira, 18 Maio de 2022 - 07:52 | victoria oliveira


Prefeito de cidade na fronteira está em estado grave após atentado
(Foto: Reprodução/Montagem/DD)

Prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo foi vítima de atentado no final da tarde desta terça-feira (17) quando deixava o prédio da Prefeitura da cidade paraguaia que faz fronteira com Ponta Porã. O político está hospitalizado em estado grave e passou por cirurgia. Ele foi atingido por sete tiros de pistola 9 milímetros.

O prefeito conversava com jornalista quando foi surpreendido pelo atirador. Ele estava desacompanhado de seguranças e se dirigia para o Palácio da Justiça, que fica próximo à Prefeitura. Conforme o site paraguaio Última Hora, três homens participaram da ação. O carro que teria sido utilizado pelos assassinos foi incinerado no Bairro Portera Ortiz.

O estado de saúde de Acevedo é delicado, de acordo descrevem laudos médicos. Ao todo, conforme informações médica, o prefeito de Pedro Juan Caballero foi atingido por sete tiros, sendo quatro deles no pescoço, dois no braço direito e um no braço esquerdo. Ele foi socorrido às pressas e passou três horas em cirurgia.

Ao chegar ao hospital, José Carlos entrou em parada cardíaca e foi ressuscitado com transfusões e outros auxílios. Médicos estudaram a possibilidade de transferi-lo para hospital complexidade na cidade de São Paulo, porém devido à gravidade do caso, foi descartada ontem à noite.

O comandante da Polícia Nacional, Gilberto Fleitas, disse à Rádio Monumental 1080 AM que investigadores analisam várias hipóteses sobre o ataque contra a vida do prefeito. A Polícia não sabe o paradeiro e as identidades dos autores do ato. Embora o ministro do Interior, Federico González, assegurou que a cidade está cercada por forças policiais.

Lamenta - O prefeito de Ponta Porã, Hélio Pellufo Filho afirmou, em nota divulgada pelo Ponta Porã News, que lamenta profundamente o ocorrido. Ele afirmou que reza pelo prefeito de Pedro Juan e se colocou à disposição da família de Acevedo.

Irmão culpa o Governo - O governador de Amambay e irmão de José Carlos, Ronald Acevedo (PLRA) criticou ontem o governo porque "nunca deu segurança a ninguém". 

“Ninguém me ligou e não vão me ligar. Quando minha filha morreu, quando minha filha foi morta, ninguém do governo me ligou. O que eles fazem é bobagem, esse pessoal do governo não é engraçado, não sei por que a polícia está lá", afirmou a jornalistas na chegada do hospital.

A filha do governador, Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, foi morta em 09 de outubro de 2021 durante chacina na saída de festa em Pedro Juan Caballero. Quatro pessoas morreram na ação, sendo duas brasileiras: a douradense Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos e Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos.