• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Pantanal

MS recebe R$ 3,8 milhões para combater incêndios

Dinheiro será utilizado em contratação de horas de voo e na compra de combustíveis e equipamentos

Governador Reinaldo Azambuja concedeu entrevista ao lado do ministro após liberação da verba (Foto: Marco Miatelo)

O governo federal repassou R$ 3,8 milhões ao Mato Grosso do Sul para ampliar as ações de combate aos incêndios florestais que atingem os biomas Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica. O dinheiro foi oficialmente liberado pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, durante reunião na governadoria, em Campo Grande, com governador Reinaldo Azambuja e parte da sua equipe.

“O dinheiro será utilizado em contratação de horas de voo e na compra de combustíveis e equipamentos que vão dar aos brigadistas condições de enfrentar os incêndios que acometem o Estado”, explicou o ministro. A destinação do recurso consta em plano de operações aprovado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Com o apoio financeiro, o trabalho de combate às chamas que já vinha sendo realizado há mais de 90 dias no Pantanal será estendido para os biomas da Mata Atlântica e do Cerrado, em especial no Parque Estadual das Nascentes do Taquari, no município de Alcinópolis, que enfrenta situação crítica e já teve 50% de sua área consumida pelo fogo.

"Estamos fortalecendo as ações de combate aos incêndios florestais. Com recursos federais e estaduais, estamos enfrentando juntos esse problema causado pela pior estiagem dos últimos 50 anos", afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

A força-tarefa de combate ao fogo é monitorada pelo Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). No Pantanal, o trabalho de combate às chamas é feito por 230 homens - entre brigadistas do Ibama/Prevfogo e militares do Corpo de Bombeiros (Mato Grosso do Sul e do Paraná), além de militares da Marinha.

Já no Cerrado, na região do Parque Estadual das Nascentes do Taquari, são 140 homens entre militares do Corpo de Bombeiros e do Exército Brasileiro.

Outros 500 brigadistas voluntários estão apagando fogo em todo o Estado, informou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Ela acompanhou o ato de liberação de recursos e informou que o ministério contabiliza as perdas registradas pelos produtores de florestas plantadas em Mato Grosso do Sul. "Estamos levantando isso para ver como podemos ajudar", disse

Emergência ambiental - Mato Grosso do Sul entrou em estado de emergência ambiental ontem (14) por causa do fogo que já consumiu mais de 1.450.000 hectares de florestas. Com a situação reconhecida pela União, o Estado deve receber mais recursos federais nos próximos dias.

"Além desse primeiro plano de trabalho, que conseguiu R$ 3,8 milhões para usarmos nos 79 municípios do Estado, estamos montando mais dois planos de trabalho para aumentar nossa atuação", explicou o coordenador da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Fábio Catarineli.

Por causa da pandemia de coronavírus, o montante de R$ 3,8 milhões para o Estado ampliar as ações de combate aos incêndios florestais nos biomas Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica foi liberado em ato restrito realizado na governadoria. Acompanharam a cerimônia os senadores Nelsinho Trad, Simone Tebet e Soraya Thronicke; os deputados federais Luiz Ovando e Rose Modesto; e os secretários estaduais Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Antônio Carlos Videira (Justiça e Segurança Pública) e Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica).