• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Rede Municipal de Ensino

Aulas da Reme retornam com 50% dos alunos e operação da Guarda Metropolitana

Além dos cuidados com biossegurança, escolas da Reme contam com apoio da GCM

Retorno acontece de forma escalonada (Foto Luciano Muta)

Após um ano e quatro meses fora das salas de aulas, alunos da Rede Municipal de Ensino (REME) voltaram nesta segunda-feira (26) de forma presencial escalonada. Pelo menos 202 unidades escolares retornaram hoje com todas as normas de biossegurança.


De acordo com secretária Municipal de Educação, Elza Fernandes, a expectativa da volta ás aulas é grande é momento importante tanto para os pais, alunos quanto para os professores. Ela enfatizou que o pais podem mandar seus filhos sem medo, já que todas as normas da OMS (Organização Mundial da Saúde) estão sendo seguidas.

" Depois de 14 meses sem aulas presenciais é a hora de voltar mesmo com 50% dos alunos em sala de aula de forma escalonada. Um planejamento foi realizado pela equipe da Semed. Para os pais que optarem por continuar os estudos de forma remota, uma equipe da secretaria de educação vai estar a disposição dos alunos", explicou.

Secretária Municipal de Educação (Foto Luciano Muta)


O retorno presencial foi organizado há meses. Os trabalhadores da educação da REME realizaram formações, receberam orientações na área de biossegurança, pedagógica e socioemocional. Além disso, todas as unidades foram equipadas com materiais de limpeza e higiene.

O diretor da Escola Municipal Professora Olivia Enciso, Vilmar Benites afirmou que o primeiro dia de volta às aulas está sendo tranquilo na unidade.

Diretor da E.M Professora Olivia Encisco (Foto Luciano Muta)


"Todos os alunos estão respeitando as normas de biossegurança. Na entrada tem Álcool em gel, a temperatura é aferida, entregamos máscara e os uniformes. A escola se organizou para esse momento. Mudanças foram feitas para recebê-los em segurança. Pelo menos 50% do alunos retornaram, e ao menos 30% dos pais preferiram seguir os estudos de forma remota." afirmou.

Segundo Vilmar Benites, os alunos que apresentarem sintomas, quais sejam dor de garganta, febre acima de 37,5°C, perda de paladar ou olfato, não deverão ser enviados à escola.


Os horários das entradas, tanto para o matutino quanto para o vespertino, também podem ser adaptados para evitar aglomerações.

Caso a unidade escolar ofereça a educação infantil, o horário de entrada, até o grupo cinco (alunos com cinco anos), poderá ser às 7h e às 13h, o ensino fundamental I (alunos do 1° ao 5° ano) às 7h15min e às 13h15min, e o ensino fundamental II (do 6° ao 9° ano) às 7h30min e às 13h30min.

Já o horário de saída pode ser antecipado para às 10h, para os alunos do matutino, e às 16h, para os do vespertino.


Operação voltas as aulas


Uma operação foi inciada pela GCM (Guarda Civil Metropolitana) que será deflagrada nas escolas municipais e terminais de transbordo da Capital. O objetivo é coibir as vendas de drogas nas portas das escolas e arredores, bem como monitorar o fluxo de transito.


Segundo o Secretário Especial de Segurança e Defesa Social, Valério Azambuja ao todo 80 agentes estão durante os horários de picos das 6h ás 8h e das 17h até 19H próximos as escolas e nos terminais realizando rondas . " A operação oferece segurança as escolas por tempo indeterminado", afirmou.

Secretário Municipal de Segurança Valério Azambuja (Foto Luciano Muta)
Veja Também