• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto

Economia

Preços de produtos da cesta básica têm variação de até 369%

Amostras foram coletadas em grandes supermercados e no mercadão municipal da Capital

Segunda-feira, 15 Fevereiro de 2021 - 17:36 | Redação


Preços de produtos da cesta básica têm variação de até 369%
(Foto: Divulgação)

O Procon Campo Grande, em pesquisa realizada entre os dias 21 a 28 de janeiro de 2021 incluiu em seu calendário de pesquisas o acompanhamento dos preços de alimentos que compõe a cesta básica, para fins de comparação bem como análise da evolução dos preços em Campo Grande.

As amostras foram coletadas em grandes supermercados e no mercadão municipal da capital, foram 15 locais de coleta das amostras. A pesquisa considerou as 7 regiões de Campo Grande, Região Urbana do Anhanduizinho, Bandeira,Centro, Região Imbirussu, Região Lagoa, Região do Prosa e Região do Segredo, com ao menos dois estabelecimentos por região, para que pudéssemos colher um panorama mais próximo da realidade dos preços em toda a Campo Grande.

A maior variação de preço encontrada pelo Procon Campo Grande entre os locais pesquisados foi o do Sal (1kg) marca Cisne (369%), dos 15 locais pesquisados, 9 comercializam essa marca, o que nos dá uma real perspectiva do preço praticado. Em segundo lugar, também foi uma marca de Sal de que teve variação considerada altíssima, a marca Lebre (325%)

A farinha de mandioca também foi um alimento com variação de preço superior a 100% em todas as marcas pesquisadas. Marca Yoki variação de 221%. Outra variação importante foi a do pão francês, alimento base do café da manhã da maioria das famílias – variação de 114%, o menor preço do kg encontrado foi de 7,95 e o maior preço 16,99. No quesito itens de higiene, o creme dental teve variação superior a 100% em todas as marcas – foi pesquisado o item de 90g.

Confira aqui a tabela completa.

O Procon Campo Grande informa que todas as pesquisas realizadas por esse Procon não devem ser utilizadas como meio de publicidade por nenhuma empresa citada.

SIGA-NOS NO Google News