• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Combustível

Bolsonaro critica política de preços dos combustíveis da Petrobras

Combustível mais caro vai puxar alta no preço de passagens de transportes urbanos nas próximas semanas

Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira (26) a política adotada pela Petrobras para definir o preço de comercialização dos combustíveis no Brasil, a PPI (política de paridade internacional). A medida faz com que os preços da gasolina, do etanol e do óleo diesel acompanhem a variação do valor do barril de petróleo no mercado internacional, bem como, a do dólar.

"Entre outros problemas, é o ICMS? Sim. Agora, qual o grande problema? Paridade com o preço internacional.  Por que? Somos obrigados a importar em torno de 25% de diesel e gasolina," reclamou Bolsonaro, durante uma entrevista coletiva após um compromisso oficial no Rio de Janeiro.

Em 2021, a Petrobras aumentou o preço da gasolina 11 vezes e o preço do diesel também subiu em nove ocasiões. Segundo Bolsonaro, por conta desses reajustes, as passagens de transportes urbanos ficarão mais caras nas próximas semanas.

"Documentos e informações [indicam] que teremos alta considerável no preço de passagens de transportes urbanos. Vai bater diretamente na vida do mais pobre, mais necessitado", disse o presidente.

Não é a primeira vez que o presidente faz críticas a Petrobras. No dia 8 deste mês, Bolsonaro afirmou que acha os dividendos da empresa muito altos. "Os dividendos são, no meu entender, absurdos. Trinta e um bilhões [de reais] em três meses. Eu não quero na parte da União ter esse lucro fantástico", afirmou.  No final de outubro, Bolsonaro já havia dito que a Petrobras não poderia dar um lucro muito alto, causando impacto negativo no mercado financeiro. A petrolífera registrou lucro de R$ 31,14 bilhões no terceiro trimestre deste ano.

Veja Também