• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Nova Andradina

MPE investiga denúncia de assédio sexual contra diretor de escola

"Você está uma delícia”, comenta o suspeito em uma das mensagens enviadas para adolescente

Mensagens trocadas entre o diretor e a aluna (Foto: Reprodução)

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) através da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Nova Andradina (MS) instaurou inquérito para apurar a denúncia de assédio sexual do diretor da Escola Municipal Efantina de Quadros contra uma adolescente de 15 anos de idade.

O promotor Paulo Henrique Mendonça é quem está apurando as denúncias. Em entrevista com o site Nova News, ele afirmou que ainda existe diligências a serem realizadas pela Promotoria de Justiça, com a coleta de informações, depoimentos, certidões, perícias e demais diligências para posterior adequação dos fatos às disposições legais.

Ele considera que constitui ato de improbidade administrativa todo aquele que atente contra os princípios da administração pública, violando os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade das instituições públicas.

Uma das providências tomadas pelo MPMS é requisitando informações e documentos acerca das providências administrativas adotadas em relação à conduta do servidor público investigado e oficiar também a Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM), bem como ouvir a mãe de uma das adolescentes.

Por envolver menores de 18 anos, o procedimento deve tramitar em segredo de Justiça para que não haja exposição das partes envolvidas, conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Nova Andradina (MS) confirmou que afastou o diretor e abriu um Procedimento Administrativo Disciplinar contra ele.

A equipe do Diário Digital tenta contato com o diretor para pronunciamento sobre o caso.

O caso – O diretor é acusado por uma aluna de 15 anos de assédio sexual. O caso também foi denunciado à Polícia Civil pela mãe da vítima.

A mulher entregou 'prints' de conversas por meio de um aplicativo entre o diretor e a estudante. Nas mensagens, o homem diz à menina coisas do tipo: “você está uma delícia” e “mexe com a minha imaginação.” Ele teria, inclusive, convidado a garota para sair.

Outros prints com abordagens ainda mais fortes foram publicados na imprensa local. A aluna apela por respeito, mas o diretor continua insistindo nas abordagens inoportunas.

Conforme o relato da mãe, as investidas começaram no mês de Janeiro deste ano. O caso está na Delegacia de Atendimento à Mulher e será tratado em sigilo em razão do envolvimento da adolescente.

Veja Também