• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Tribunal do Júri

Julgamento de assassino de Carla tem data marcada

Marcos André Vilalba, é acusado de sequestrar, matar e estuprar jovem em julho do ano passado

Marcos André Vilalba, autor, do crime e a jovem Carla Santana, morta aos 25 anos (Fotos: Reprodução)

Dias após completar um ano do assassinato de Carla Santana Magalhães, de 25 anos, a justiça de Mato Grosso do Sul divulgou nesta terça-feira (27) a data do julgamento de Marcos André Vilalba, acusado de cometer o crime. Ele será levado a júri no próximo dia 13 de agosto, na 2ª Vara do Tribunal do Júri, em Campo Grande.

A defesa havia entrado com recurso para modificar as qualificadoras do homicídio na pronúncia e o julgamento que, inicialmente, estava agendado para abril deste ano, precisou ser cancelado. Porém, os recursos não foram aceitos pela justiça.

Marcos André será julgado por homicídio qualificado por feminicídio, motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima, estupro, vilipêndio (violentada após a morte) e ocultação de cadáver.

Caso Carla – A morte de Carla Santana Magalhães, 25 anos, é o tipo de crime tão assustador que parece só existir nos enredos de filmes. A vítima foi sequestrada, esfaqueada e, depois de morta, abusada sexualmente pelo vizinho Marcos André Vilalba de Carvalho, 21 anos, na noite de 30 de junho, no Bairro Tiradentes, em Campo Grande.

Carla não teve chance de gritar para pedir ajuda porque foi arrastada para casa do vizinho praticamente desmaiada, depois de um golpe mata-leão. Em questão de segundos, a vítima foi levada para dentro por Marcos e deixada na cama do quarto dele, inconsciente. Antes que pudesse acordar, o assassino esfaqueou a jovem no pescoço a primeira vez. Em seguida, vieram os outros golpes.

Carla foi brutalmente assassinada pelo vizinho Marcos André Vilalba de Carvalho, 21 anos, na noite de 30 de junho (Arquivo/Reprodução Facebook)

O corpo de Carla foi encontrado sem roupas, na esquina da casa dela, depois do assassino cometer necrofilia e dormir três noites com ele embaixo da cama. Marcos André aguarda julgamento preso, desde o dia 14 de julho.