• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record

Grupo faz oração pela família de Carla

Ato foi realizado no local onde o corpo da jovem de 25 anos foi deixado após assassinato brutal

O local onde a jovem Carla Santana de Magalhães, de 25 anos, foi encontrada morta, na sexta-feira passada, 3 de Julho, virou palco de oração coletiva na tarde deste domingo, 5 de Julho, em Campo Grande.

O corpo da vítima foi encontrado com sinais de violência em frente a uma conveniência, no cruzamento das Ruas Nova Tiradentes e João Cassimiro, no Bairro Tiradentes.

A maioria dos presentes à oração era mulheres. Elas pediram conforto à família e o fim da violência de gênero. A mãe da vítima, Evanir Santana Magalhães, participou e demonstrava estar ainda muito abalada.

"A gente fez esse ato para mostrar para essa mãe que ela não está sozinha. Ela tem a Deus e tem a nós mulheres", disse uma das organizadoras do ato. As mulheres pretendem continuar as mobilizações por Justiça nas redes sociais.

Carla foi sequestrada, assassinada e o corpo foi deixado nas proximidades da casa dela (Foto: Divulgação

Carla estava desaparecida desde 30 de Junho quando foi sequestrada perto de casa. A mãe ouviu os gritos por socorro da filha, mas quando chegou restavam apenas a máscara, o telefone celular e os chinelos da jovem no chão.

Desde então, a moça era procurada. Na sexta-feira passada, o corpo de Carla foi encontrado em frente à conveniência a poucos metros de casa. Ela estava nua e com marcas de facadas no pescoço.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Homicídios, a DEH. Ninguém foi preso.

Foto de destaque: Divulgação