• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Interior

Antes de matar cadelinha, Pitbull sem focinheira tentou atacar uma pessoa

Após matar a cachorrinha, pitbull carregou o corpo do animal pelo pescoço como se estivesse exibindo a presa

Imagens do ataque feroz causaram comoção (Foto: Reprodução – Perfil News)

O ataque violento do cão da raça pitbull que matou um cachorro de menor porte em Três Lagoas (MS) no domingo, 18 de Outubro, segue causando comoção na cidade. Testemunhas afirmam que o animal, antes de matar a cadelinha, tentou atacar uma pessoa e, em seguida outro cão que escapou com vida.

O ataque feroz do animal aconteceu por volta das 16h30 na Rua Graça Aranha, no Bairro Jardim Dourados. O pitbull transitava livremente sem focinheira, quando tentou atacar uma pessoa que saía de uma conveniência, mas que conseguiu se afastar do cão. Em seguida, ele atacou os outros animais.

Após matar a cadelinha, o pitbull carregou o corpo do animal pelo pescoço como se estivesse exibindo a presa. Segundo informações extraoficiais, o cão feroz teria entrada em um veículo Corola, de cor banca, que deixou o local em seguida.

Em Mato Grosso do Sul, uma lei exige o uso da focinheira e enforcador em locais públicos para os cães das raças Pit Bull, Rottweiler, Doberman, Bull Terrier, Dogo Argentino e Fila Brasileiro. O objetivo é evitar que os animais façam vítimas durante o passeio.

A lei 3489, que entrou em vigor em 2008, também impede a condução dessas raças por crianças ou adolescentes e prevê cobrança de um seguro obrigatório para cães de médio e grande porte contra danos que eles possam causar.

(Com informações do site de notícias Perfil News)

Veja Também