• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
EDU REJALA

Professor, consultor e Chef Nikkei, especializado na fusão das cozinhas peruana e japonesa. Idealizador do projeto 'O Cromossomo do Amor' que ensina técnicas da cozinha para jovens com síndrome de down.

Minhas Redes Sociais:

Trufa ou Tartufo – Uma Iguaria na Gastronomia

 Olá, seja bem-vindo ao meu diário de gastronomia. Uma plataforma regional pela TV MS RECORD, 100% digital.

É uma satisfação compartilhar artigos culinários, receitas, curiosidades gastronômicas, videoaulas, cobertura de festivais gastronômicos, dicas e muito mais desse universo tão repleto de cores e sabores

O que será que você conhece sobre os Tartufos? Em português TRUFAS, que é bastante confundido com as “trufinhas” de chocolate.

Para que você entenda melhor, as empresas que fazem bombons, criaram um chocolate que ‘imita” essa iguaria na gastronomia. Fiz uma breve pesquisa para que compreenda melhor.

Recebeu este nome em analogia a trufa, um cogumelo subterrâneo que é consumido há mais de três mil anos, devido ao seu tamanho, cor e pelo fato de que ao ser recolhido vir envolto em terra, assim como a trufa de chocolate é envolta em cacau em pó.

São consideradas um símbolo refinado de cortesia.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/

Agora que já sabemos, o por que existem as trufinhas de chocolate, e de onde elas vieram, vamos falar das verdadeiras trufas (Tartufos branca e negra), encontradas na Itália e França.

A trufa é um fungo subterrâneo do gênero Tuber, família das Tuberaceae que cresce, espontaneamente, no solo abaixo das raízes de algumas árvores ou arbustos, especialmente nas regiões de carvalhos, com os quais estabelece simbiose. FONTE: https://www.greenme.com.br/

Conheço as trufas (tartufo), desde 2015, onde já elaborava um prato ou outro, em meus restaurantes. Lembro que minha primeira receita foi combinar o azeite de trufas brancas no TARTAR DE SALMÃO.

De lá para cá, fui imergindo neste mundo maravilhoso das trufas e suas variadas composições e receitas. Doces ou salgadas, os preparos com trufas já conquistaram paladares e críticos em todas as partes do mundo.

Amo Vieira com manteiga trufada, dadinho de tapioca com goiabada trufada e pão na chapa com requeijão trufado. As trufas são iguarias autenticas, com muita personalidade.

Minha entrada favorita é o Queijo Brie empanado na farinha japonesa panko, servido com mel com trufas brancas e torradinhas de pão ciabatta.

Brie empanado, servido com mel trufado.

Nas minhas idas a São Paulo, a parada obrigatória é na Tartuferia San paolo (rua Oscar freire, 155 - São Paulo), que com maestria elaboram muuuiitos pratos com essa deliciosa iguaria. E hoje, em Campo Grande, tenho o orgulho de apresentar um Menu completo (desde entrada, prato e sobremesa) no CASABLANCA - Bistrô, Adega & Tartuferia, localizada na Rua Euclides da Cunha, numero 89 - Campo Grande/MS.

Para encerrar nosso artigo deste mundo maravilhoso, irei postar uma parte da mágica a experiência dondeandoporai.

“Caçando” trufas negras na Itália: como foi, como faz e como é mágica a experiência.

Foi numa tarde ensolarada que tudo começou. Mais especificamente, por volta das 18 horas de um dia de verão em julho, em que o sol ainda tá alto, mas a brisa já está morna o suficiente na pele.

Deixamos Norcia, uma cidadezinha charme-e-delicadeza encravada no coração da Umbria, Itália, e seguimos de van para uma dos montes ao redor. Um pouco mais de 15 minutos de carro, entre pequenas fazendas douradas de trigo maduro e colunas de ciprestes desenhadas aqui e ali.

Paramos com a van num campo afastado, cheio de pés de lavanda ainda verdes. Lá, chegando em uma Uno verde velhinha, estavam os verdadeiros caçadores do dia.

Seus nomes: Brigante, Lulu e Nina.

Caçando trufas com cães na Italia
O Cocker Spaniel Brigante, o único macho do grupo: com 1 ano de vida e já começando o treinamento.

Dois rapazes traziam os 3 cães da raça Cocker Spaniel para a tarefa. Segundo eles, sempre são três cães a realizar a caça, sendo um mais velho e experiente, e os outros dois filhotes, de modo que cada caça é também uma oportunidade de treinar os animais. Nina, a mãe e mais experiente, já tinha 8 anos, e a caçula e filhote era a Lulu, uma cocker preta com a hiperatividade de seus 8 meses.

Com os cachorros em Norcia
Não resisti a posar com as pequenas guerreiras: a marrom é a Nina e a pretinha é a pequena Lulu.

Segundo os guias, as caçadas de trufas eram inicialmente feitas com porcos, dotados de um faro excepcional. Esses caçadores, porém, tinham um incoveniente: eles próprios apaixonados por trufas, não raro encontravam, cavavam e as comiam, antes mesmo de dar tempo aos homens que os acompanhavam poder resgatá-las.

Treinando os cães antes da caça às trufas
Algumas instruções antes de soltar a coleira e começar o trabalho.

Os cachorros tornavam a caçada mais fácil – e porque não dizer, mais fofa – mas exigiam treinamento e instruções.

A nós, bastava acompanhar. Já encantados.

Algumas palavras de ordem e pronto: os animais eram soltos no campo. Felizes da vida.

Acompanhá-los com os olhos era igualmente delicioso.

A história completa (na íntegra), você encontra neste link https://www.dondeandoporai.com.br/cacando-trufas-negras-na-italia-como-foi-como-faz-algumas-dicas-e-como-e-experiencia/

FONTE: https://www.dondeandoporai.com.br/

Obrigado pelo carinho e apoio de sempre.! Fique com Deus, um beijo, no coração.!!

“A gastronomia aproxima as pessoas. Onde tem comida, tem alegria e também relacionamento” – Chef Edu Rejala.


DEIXE SEU COMENTÁRIO