• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Investigação

Deputado federal Loester Trutis será levado para presídio

Parlamentar foi preso em flagrante por porte ilegal de armas de uso restrito durante operação da PF

(Foto: Divulgação – Câmara Federal)

O deputado Loester Carlos Gomes de Souza, o Loester Trustis, do PSL, preso em flagrante por porte ilegal de armas de uso restrito será transferido para o Presídio Militar de Campo Grande (MS) na noite desta quinta-feira, 12 de Novembro. Ele está preso desde as primeiras horas da manhã quando policiais federais estiveram na residência dele para cumprir mandados judiciais da Operação Tracker.

Até a publicação desta nota, a defesa do deputado ou sua assessoria não tinham se manifestado sobre a prisão. O partido dele também não quis comentar o assunto. A Operação Tracker investiga o suposto atentado contra o deputado denunciado pelo próprio Trutis em fevereiro deste ano.

Ao entrarem na casa do deputado para cumprir os mandados de busca e apreensão relativos à operação, os federais encontraram as armas e prenderam o parlamentar em flagrante.

A operação investiga a suspeita de que o atentado tenha sido forjado pelo próprio parlamentar, que passou a ser investigado por falsa denunciação de crime.

Atentado - No dia 16 de fevereiro deste ano, um domingo, o deputado usou seu perfil no Facebook para relatar o atentado. Ele e o motorista seguiam para a cidade de Sidrolândia quando o crime teria sido praticado.

O parlamentar disse que o carro teria sido alvo de, no mínimo, cinco tiros. Ninguém ficou ferido. A PF abriu investigação sobre o caso.

“O deputado conseguiu revidar o ataque. Apesar da emboscada, todos estão bem e sem ferimentos. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) fez a retirada do local e a Polícia Federal já está acompanhando o caso”, disse texto publicado na rede social do deputado à época.

Veja Também