• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
"Eita, Giovana"

As várias faces da “loira e alta” que aplicava golpes se passando por motorista

Fotos mostram transformações de Giovana Nacasato, 34 anos, presa por estelionato após denúncias

Fotos nas redes sociais mostram transformações de Giovana Rodrigues Nacasato (Reprodução/Facebook)

As denúncias que nesta semana levaram a polícia a Giovana Rodrigues Nacasato, de 34 anos, suspeita de se passar por motorista de aplicativo para dar golpes na região central de Campo Grande, descrevem uma mulher “loira e alta”. Mas, nas redes sociais, apesar dela aparecer morena em algumas fotos, é possível perceber a transformação ao longo dos anos.

Na página de Giovana no Facebook, ela parece com vários tipos de cabelo. Curto e longo, morena, loira e até ruiva. Mulher trans, também há fotos circulando na internet que mostram o antes e depois da suspeita, quando ainda possuía aparência masculina.

Descrita pelas vítimas como "loira e alta", suspeita aparece de cabelo escuro nas fotos das redes sociais (Reprodução/Facebook)

A mulher é investigada em, pelo menos, quatro denúncias na Polícia Civil por estelionato, inclusive, contra idosos. Giovana chegou a ser presa nesta quarta-feira (16) e passou por audiência de custódia, mas vai responder ao processo em liberdade.

As denúncias mostram que a mulher agia sempre da mesma forma. Ela abordava pessoas que estavam à espera de uma corrida de aplicativo ou do transporte coletivo, oferecia as corridas com preços entre R$8,00 e R$12,00. Porém, no pagamento, modificava esses valores.

As vítimas mais recentes seriam um casal de idosos que perdeu R$1,2 mil ao passar cartão de débito para pagar corrida de R$ 8,00, nesta quarta-feira (16). No dia anterior, Giovana aplicou o mesmo golpe em uma mulher de 49 anos que perdeu R$ 200,00.

Depois que a história da “loira, alta e golpista” ganhou repercussão, outras vítimas apareceram. No último dia 3 de maio, uma merendeira de 48 anos, funcionária de escola pública, na Capital, teve todo o salário do mês, cerca de R$ 1,2 mil, levado pela golpista ao achar que estaria pagando R$12,00.

O mesmo ocorreu com outro idoso de 79 anos, cadeirante. A mulher roubou R$ 900 do aposentado ao oferecer uma corrida na porta do Hospital Regional, em março deste ano.

Em interrogatório, Giovana alegou estar arrependida e, antes de ser levada a delegacia, sacou o valor de R$ 1,4 mil para devolver a duas das vítimas. A mulher contou que trabalhava como motorista de aplicativo há 2 anos e 6 meses e tinha o costume de oferecer seus serviços de motorista a parte, abordando clientes que estavam à espera de uma corrida.  A polícia investiga há quanto tempo ela estaria praticando os golpes.

O veículo Sandero, prata, usado por Giovana foi apreendido e pertence a uma locadora.

Veículo usado por Gionava era este Sandero, prata, alugado (Foto:Divulgação)

A polícia acredita que há outras vítimas da mulher e pede para que, caso a pessoa tenha caído no golpe, procure a 1ª Delegacia de Polícia Civil, no Centro, para denunciar.

Orientação - Em nota, a Uber informou que a motorista foi banida da plataforma assim que a denúncia foi feita e orientou que pagamentos por cartão (débito e crédito) só podem ser feitos pela plataforma. “Maquininha de cartão" não é aceita como meio de pagamento oficial.

“Estamos continuamente reforçando que os usuários sempre façam o pagamento conforme informado no pedido”, explica a empresa.

Veja Também