• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Meio Ambiente

Campo-grandense é multada em R$ 15 mil por exploração ilegal de madeira

Para tamanha degradação, a proprietária usava trator com grades

As madeiras depois de cortadas eram utilizadas para fazer cerca na propriedade. (Foto: PMMS)

Durante fiscalização ontem (14) uma mulher, de 62 anos, foi autuada pelo crime ambiental de degradação de vegetação e exploração de madeira sem autorização ambiental em área protegida.O flagrante ocorreu em Bonito, mas a autora é de Campo Grande.

A Polícia Militar Ambiental de Aquidauana foi quem atendeu a ocorrência, quando chegaram na propriedade rural constataram várias árvores derrubadas, das quais estava sendo explorada a madeira que era desdobrada em estacas.

Durante a vistoria, verificou-se a danificação da área de preservação permanente (APP) da encosta de um morro, onde a proprietária utilizou um trator com grades, arando a terra e revolvendo a vegetação nativa presente, para a formação de pastagens causando erosões pelas frequentes chuvas.

Os sedimentos foram carregados pela força das águas que descem do morro, podendo causar assoreamento no curso d’água perene que passa pela propriedade.

Além disso, foi constatada a exploração de vegetação nativa, sendo 10 árvores da espécie aroeira, 16 árvores da espécie angico, sete árvores da espécie Ipê, sendo que as árvores foram desdobradas em estacas e que estavam sendo utilizadas em cercas na propriedade.

A infratora responderá por crime ambiental, sendo autuada administrativamente onde deve apresentar plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental.

Além de pagar multa de R$ 14.900,00, pela degradação da área protegida e a exploração da madeira. A pena é de um a três anos de detenção, agravada por ser vegetação protegida.

(Com informações da PMMS)

Veja Também