• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Campo Grande

‘Bruno agiu em legítima defesa’, afirma advogado de defesa

Crime ocorreu na lanchonete onde os dois trabalhavam, na Avenida Mato Grosso

  • 24 set 2021
  • Yara Borges e Thays Schneider
  • 10:59
Bruno Cezar de Carvalho de Oliveira, 24 anos, foi julgado nesta sexta-feira (24) (Foto Luciano Muta)

O julgamento do motoboy Bruno Cezar de Carvalho de Oliveira, de 24 anos, acusado de matar a tiros o colega de trabalho Emerson Salles Silva, de 33 anos, na noite de 13 de agosto do ano passado, na lanchonete onde os dois trabalhavam, na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande, começou na manhã desta sexta-feira (24).

"Expectativa é sair com Bruno solto daqui. ele agiu para se defender. Ele é uma pessoa excelente, o único problema da vida dele foi conhecer o Emerson', afirma Alex Viana de Melo, advogado de defesa de Bruno.

Advogado responsável pelo caso (Foto Luciano Muta)

Bruno está preso desde o dia 19 de agosto de 2020. Segundo o advogado de defesa do motoboy ele agiu em legítima defesa para se defender de agressões físicas e psicológicas que sofria de Emerson.

Emerson tinha várias passagens pela polícia, por lesão corporal. Segundo informações, ao menos 500 pessoas do Bairro Moreninhas estão pedindo a soltura do acusado. No local, amigos e familiares estão com cartazes pedindo justiça à favor de Bruno.

"Emerson violentou drasticamente Bruno, que agiu para se defender. Emerson ameaçava matar ele, e foi o próprio Bruno que arrumou o serviço para ele na lanchonete", afirma o advogado de defesa.

Durante depoimento, Bruno pediu desculpas e afirmou que não é assassino. " Eu nunca quis matar ninguém, mas era eu ou ele. Emerson me ofendia muito, me xingava muito. No dia do crime me deu vários socos, na hora da raiva e com medo acabei atirando nele, me arrependo muito ", afirma o réu.

Veja Também