• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
PRISCILA PIRES

Formada em Jornalismo, trabalha como assessora parlamentar, cursa faculdade de Nutrição e também integra o time do programa Balanço Geral MS com o quadro A Hora da Venenosa. Como digital influencer, aborda curiosidades, bastidores e fofocas do mundo dos artistas. Também aborda temas ligados à sexualidade.

Minhas Redes Sociais:

Vai um ménage aí?

Se dois juntos já causam, imagina três. Quem “nunca" pensou e fantasiou um sexo a três! Mesmo nem sempre admitir, muitos casais ficam sim, nessa curiosidade e vontade de convidar uma terceira pessoa para uma transa. Mas, como exatamente podemos adentrar neste mundo sem abalar o nosso relacionamento?

Bom, vamos lá. Nas minhas pesquisas e experiências de vida, a primeira coisa a ser feita ao tentar realizar o ménage é CONVERSAR abertamente com o parceiro sobre o assunto, expor com sutileza essa vontade e se decidirem fazer, definir as diversas diretrizes do ato. Por exemplo, como deverá ser feita a escolha da terceira pessoa?

Não existe exatamente uma regra única ou opção “certa” ou “errada”. Em alguns casos, o terceiro indivíduo pode ser incluído de forma orgânica, que ocorre naturalmente em um encontro em que os parceiros estão juntos e, no meio de uma conversa, propõem o trio.

Outros casais podem preferir algo mais prático e selecionar em sites ou aplicativos de encontros pessoas interessadas em ménage. Neste caso os parceiros devem avaliar se preferem que o terceiro elemento seja um amigo ou um desconhecido.

Uma pessoa próxima pode compartilhar intimidades com o casal e resultar em um sexo mais prazeroso para alguns, mas, por outro lado, é possível que ocorra certa estranheza ou sentimentos na relação de amizade após o ato.

Um estranho talvez poderia facilitar o processo e minimizar possíveis desconfortos e constrangimentos, uma vez que não haverá necessidade de manter contato ou prestar satisfações depois da transa. Novamente, tudo deve ser avaliado pelo casal.

Infelizmente, por questões sociais, o ménage com um homem e duas mulheres costuma ser mais comum. Isso porque, nós mulheres, temos maior facilidade de interação física com o mesmo sexo, enquanto que eles geralmente vivem à sombra de inseguranças e medos, mesmo que a transa a três, de forma alguma, seja capaz de definir orientações sexuais. A  escolha do gênero do terceiro indivíduo no sexo deve ser debatida e, assim como qualquer outro tipo de proposta na intimidade, nunca deve ser imposta ou realizada apenas para satisfazer um dos parceiros, decisões unilaterais tampouco são justas, ok?

Outro receio comum de quem nunca experimentou sexo a três mas tem vontade,  é o de se sentir excluído no meio da transa. Os envolvidos devem entender que, em uma transa em trio, é possível sim que uma das pessoas fique momentaneamente de fora da “diversão” ou, por outro lado, seja o centro das atenções em outros momentos. O importante para evitar frustrações e ter prazer é, além de se conscientizar do fato, tentar sempre manter o equilíbrio na troca de carícias. O compartilhamento é fundamental.

Vamos para as preciosas dicas:

Garanta o conforto de todos

Tomar o cuidado de checar se todos os envolvidos estão felizes por estar ali e excitados com a situação.

É como ser o anfitrião de uma festinha com a única diferença de que, nessa festinha especificamente, não serão servidos apenas canapés e drinques coloridos. Pode até mesmo perguntar de vez em quando se está tudo bom para todas as partes e  não há uma etiqueta que impeça isso.

Só maneire quando o negócio já estiver mais quente, para não parecer cobrança (até porque, convenhamos que a essa altura já vai dar para apalpar a felicidade de todo mundo).

Crie regras

Se o ménage será formado por você e seu parceiro ou parceira, é legal conversar bastante antes de partir para a ação real. E não estamos falando apenas de dividir as fantasias um com o outro e imaginar como vai ser... A ideia aqui é estabelecer limites que deixem vocês dois confortáveis um com o outro para que, depois de passado o trio elétrico, ninguém se arrependa de ter embarcado na micareta.

Definido o regulamento, é hora de contar também para o terceiro elemento como vocês gostariam que tudo funcionasse. Pode cutucar esse negócio? Pode. Pode a velocidade cinco do créu? Também. Assim, todo mundo sabe até onde, com quem e de que jeito pode ir.

Tente estar minimamente sóbrio

Acredite: você vai querer se lembrar desta experiência. Pode até ser que alguns bons detalhes acabem desaparecendo na confusão, mas, se for possível manter na memória tudo de bom que vai rolar (e tudo de estranho, também, para não repetir no futuro), melhor.

Proteja-se

E por proteção não queremos dizer apenas preservativos. A ideia de um ménage é obviamente se libertar e ser feliz, mas também é importante que se esteja em uma atmosfera protegida, segura, para que o after da festinha não seja de arrependimento e pânico.

Decidam se será permitido, por exemplo, manter os celulares à mão. Filmar ou fotografar na hora pode apimentar mais o momento.

E, por fim, mas não menos importante, sim, falemos também de preservativos, e aqui cabe uma dica: se o ménage envolver duas mulheres e um homem, fica mais fácil cada uma delas usar sua própria camisinha feminina, do que o sujeito ter que ficar trocando a masculina a cada vez que for se alternar na penetração.

Não deixe ninguém de lado

Um ménage não é o melhor momento para se sentir rejeitado. Pelo contrário, estamos falando aqui de aceitação das mais profundas e íntimas, coisas que se pode dividir com outro(s) ser(es) humano(s). Portanto, evite que alguém vá embora chorando ou chateado e se divida o suficiente, dando atenção para todo mundo.

Agrade geral, especialmente sua parceira

Todo mundo que já esteve em uma relação estável sabe que o sexo às vezes pode carecer de novidades — a possibilidade de um ménage, aliás, muitas vezes surge a partir desse desejo de fazer algo de novo na cama junto com a pessoa que se ama.

Portanto, é natural que o elemento que surge de fora para participar do sexo a três desperte mais tesão, justamente por conta do fator novidade. É bem provável que vocês dois se interessem em desvendar tudo que aquela pessoa tem de gostoso. Isso é saudável e divertido.

Só é preciso tomar um pouco de cuidado para, em meio a tamanha excitação, não acabar largando o parceiro amado de lado.

Controle o ciúme

Ao mesmo tempo em que, quando um casal participa de um ménage, é bom que um tome conta do outro com carinho, também é fundamental não entrar em pirações de ciúmes no meio do baile já em andamento. Afinal, vocês dois escolheram estar ali naquela situação, os dois decidiram fazer isso juntos, os dois estabeleceram as regras, e os dois – pressupõe-se – têm intimidade e respeito mútuos suficiente para que se comuniquem caso algo de desconfortável aconteça. Então, relaxe e aproveite a festa que você mesmo organizou.

Faça um balanço com seu parceiro sobre como foi

Depois que a festa acabar, e vocês já tiverem colocado os lençóis para lavar e recolhido todos os vestígios, é hora de relaxar e descansar. Quando se sentirem à vontade, seja hoje ainda, ou mesmo daqui a alguns dias, conversem para saber como foi a experiência na visão de cada um: o que mais agradou, o que valeu a pena, o que não precisa acontecer nunca mais, qual momento foi o mais gostoso e em qual deles tudo que você sentia eram cócegas.

Tratem de tudo de uma maneira natural, exatamente como deve ser uma experiência como essa. Este balanço vai servir não só para que vocês reforcem o vínculo entre ambos, mas também para decidir se ménages são algo a se repetir ou não na vida como casal.

Boa sorte e se deliciem !


DEIXE SEU COMENTÁRIO