• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
CRISTINA KATAYAMA

Médica Dermatologista formada há 23 anos. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e American Academy of Dermatology. Ama a pele e promove o equilíbrio saúde/beleza como meio de elevar a autoestima.

Minhas Redes Sociais:

Isotretinoina oral

A Isotretinoina oral é um medicamento muito utilizado pelos dermatologistas para o tratamento de acne principalmente a forma nódulo-cística. Seu uso foi aprovado nos Estados Unidos em 1982, na Europa em 1983 e no Brasil em 1990 revolucionando o tratamento de formas severas de acne.*

Mesmo após muitos anos de uso muitas pessoas tem receio pelos seus efeitos colaterais e alguns desistem do tratamento. Por isso revolvi esclarecer algumas dúvidas frequentes de pacientes e familiares.

A efetividade do tratamento com Isotretinoina oral é superior a outros tipos de tratamento quando se trata das formas mais graves, promovendo cura ou prolongando remissão do quadro melhora da qualidade de vida e diminuição do efeito psicossocial causado pela acne.


Porém efeitos adversos são relatados, os mais comuns: piora do quadro no inicio do tratamento; ressecamento intenso de mucosas, semi mucosas e da pele no geral; cefaleia; queda de cabelo; alteração nos exames hepáticos e/ou exames de colesterol e triglicérides e o maior e mais temido risco = teratogenicidade (alterações no feto de mulher gestante que está em uso do medicamento). Outros efeitos menos comuns: dor muscular, dor articular e outros mais graves e raros.

Por estes motivos o ideal é que o paciente procure um Dermatologista para avaliar seu caso e se houver indicação de tratamento com este medicamento, que sejam solicitados exames, que as mulheres em idade fértil sejam orientadas sobre a obrigatoriedade de métodos contraceptivos e que sejam esclarecidas dúvidas sobre a dose e posologia, os benefícios e possíveis efeitos colaterais da isotretinoina oral e como controlá-los.

*SBD


DEIXE SEU COMENTÁRIO