• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
LORIANY ALBUQUERQUE

Psicóloga campo-grandense, realiza atendimento psicoterápico de base analítica para adolescentes e adultos. Seu trabalho visa a melhora significativa na qualidade de vida de cada paciente.

Minhas Redes Sociais:

Como identificar um relacionamento infeliz

Olá, hoje quero falar com vocês sobre aquele relacionamento que você sente que está faltando alguma coisa e que lá no fundo você sabe que não está mais tão feliz com a relação.

Quando você entra em um relacionamento (seja ele um namoro, noivado ou casamento) geralmente é porque gosta tanto do parceiro(a) que deseja dar um passo a mais na relação. Tem alguma coisa nesse relacionamento que te faz querer mais!

Com o tempo os relacionamentos naturalmente vão perdendo toda a intensidade do começo e quando essa intensidade, paixão, amor se perdem e não são reestabelecidos o relacionamento tende a ficar desgastante.

É como se fosse um celular que precisa ser recarregado, a energia da bateria vai se esgotando e se não colocar no carregador ele desliga e fica sem utilidade. De tanto ficar sem bateria pode ser que em algum momento o celular pare de funcionar e não ligue mais.

No relacionamento acontece o mesmo, se não cuidar com carinho, atenção, zelo e diálogo a relação pode esfriar e deixar de ter todo aquele brilho que tinha no começo. Até chegar em um ponto que a relação pare de funcionar, independente das tentativas de uma das partes de querer manter a relação.

O problema acontece ao criar um tabu para identificar se ainda vale a pena insistir nessa relação. Nós crescemos relacionando o amor ao sofrimento, através dos filmes, novelas, livros de romances ou até mesmo exemplos de relacionamentos de pessoas próximas. Qual o roteiro romântico mais comum que você conhece!?

Geralmente é o mocinho ou a mocinha tendo que lutar a história toda para apenas no final conseguir ficar com a pessoa amada e serem “felizes para sempre”.

 De certo modo, fica muito difícil querer desistir da relação, você pode ter criado a ilusão de que precisa lutar, que amor tudo suporta e que lá no futuro vai ser tudo melhor e no final vai receber uma grande recompensa. Mas precisa mesmo ser assim? Romantizar o sofrimento é bom para quem? Por que não gostar do amor que é fácil, leve e talvez mais saudável?

O que torna um relacionamento pesado, desgastado, com tanta luta, dor e sofrimento ser bom?

Fica difícil querer segurar um relacionamento que não está mais dando certo com unhas e dentes, apenas para reafirmar que amor tudo suporta. O amor não precisa suportar tudo, ele não é sinônimo de dor e não vai ter uma “recompensa” no final.

Seja honesto(a) com você mesmo(a), é preciso reconhecer que essa relação não te faz mais bem. Faça uma reflexão, como que está a sua vida com o seu parceiro hoje e como que você gostaria que fosse? Ainda é possível “recarregar” esse relacionamento?

Se for possível, continue tentando, inove na relação e busque alternativas que reacendam o tal brilho no olhar. Mas se você sente que já não vale mais a pena, não tenha medo, você pode sair dessa relação. Tudo bem não ter dado mais certo, você ainda tem muito para viver e pode recomeçar quantas vezes forem necessárias. 


DEIXE SEU COMENTÁRIO