• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
FELIPE ALENCAR

Jovem e consolidado advogado criminalista. Atua em Dourados (MS) e atende demandas de todo o país. Pesquisador do Direito com ênfase em Defesas Criminais e Empreendedorismo Jurídico e também atua como escritor do Jusbrasil.

Minhas Redes Sociais:

Um parente ou amigo meu foi preso: o que devo fazer?

Uma das principais dúvidas que recebo no escritório é sobre o que fazer quando um parente ou amigo for preso. Pensando nisso, vim aqui te explicar o passo a passo.

Bom, inicialmente é sempre bom lembrar que quem foi preso em flagrante não significa necessariamente que a pessoa seja culpada.

Quando algum conhecido ou parente for preso em flagrante é muito importante, incialmente, mantê-lo calmo e encontrar um advogado criminalista o mais rápido possível para garantir que direito dele não seja violado.

Não importa se a prisão ocorreu durante o dia ou durante a madrugada, o contato imediato com o advogado especializado na área criminal é ESSENCIAL.

É importante que o conduzido tenha o acompanhamento de advogado em suas declarações, uma vez que mesmo sendo inocente, pode declarar algo que o prejudique. Se você não conseguir chegar a tempo na delegacia, seu cliente não terá declarado não nada prejudicial.

Caso se verifique que a pessoa cometeu algum crime, as declarações podem implicá-lo em algum crime mais grave que não tenha cometido.

Por isso ressalto a importância do acompanhamento do advogado na delegacia. Além disso, o profissional deve estar preparado para as situações que ocorrem e que a faculdade os ensina.

Importante lembrar que, nos casos em que não se tratar de prisão em flagrante, a pessoa será conduzida até a delegacia, onde assinará um termo circunstanciado e, após, ocorrerá a sua liberação, via de regra.

Caso não seja liberado é importante acionar um advogado criminalista para que verifique o que está acontecendo.

Caso o preso em flagrante se desespere, é muito importante que a família e/ou amigo lembre dos direitos dele.

Nestas situações, infelizmente, é muito comum que a pessoa se desespere e acabe falando muitas coisas sem pensar, então manter a calma do preso é um ponto crucial que poderá ajudar e muito na sua defesa.

Os presos têm direito: ao silêncio – de saber qual o policial e quais os motivos de sua prisão – de ser acompanhado por advogado na delegacia.

Sempre que familiar de cliente me procura falando sobre situação de prisão em flagrante eu sempre oriento que o preso não fale nada até que eu chegue à delegacia, pois nestas situações é muito comum que o preso perca a calma e acabe contando inúmeras versões do mesmo fato. Por isso a importância da presença do advogado.

E quando caberá fiança? Quando o crime tiver pena máxima de 4 anos o delegado poderá estipular um valor para a fiança. Nestes casos são analisadas as condições financeiras do preso, podendo variar bastante o valor da fiança de um preso para o outro.

Quer saber mais sobre o assunto? Baste seguir meu instagram @felipealencarcriminalista

Compartilhe!!


DEIXE SEU COMENTÁRIO