• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Ogg Ibrahim

Jornalista, mestre de cerimônias e palestrante. Especialista em Comunicação Corporativa e gerenciamento de redes sociais. Expert em gerenciamento de crises nas relações com a mídia e em otimização da comunicação interna e externa de corporações.

Minhas Redes Sociais:

Whatsapp: erros que não se deve cometer

Com toda a tecnologia que temos à nossa disposição, hoje, para nos comunicar com as pessoas, o Whatsapp é, sem dúvida alguma, o mais utilizado, inclusive nos negócios com os novos incrementos que recebeu recentemente, permitindo que você o use como uma conta comercial, para sua empresa. Só que essa utilização em massa trouxe com ela certos abusos e absurdos dos quais muita gente ainda não se tocou. Seria a falta de etiqueta ou bom senso ao lidar com o aplicativo de mensagens.

Um dos erros mais comuns que se comete é achar que o Whatsapp é um chat (serviço em que você manda uma mensagem e a pessoa do outro lado responde na mesma hora). Não é nem sempre funciona na velocidade que você deseja. E o mais irritante nesse erro é quando você recebe uma mensagem dizendo apenas "Oi tudo bem?" e mais nada. Quando você lê essa mensagem, que não diz praticamente nada, digamos, umas 3 horas depois, a pessoa talvez tenha desistido de falar com você. Mas o erro é dela e não seu. O que muitas pessoas não aprenderam ainda é que no Whats deve-se mandar a mensagem completa, tipo: "Oi, tudo bem? Preciso falar com você urgente. Me ligue quando puder", ou coisa parecida. Se o destinatário não pode ver a mensagem na hora em que foi enviada, o "Oi, tudo bem?" perde o sentido e não diz a que veio.

Devemos lembrar que nem todo muito olha o whatsapp a todo momento. Algumas pessoas, inclusive, só leem mensagens quando chegam à noite em casa, ou numa pausa para o almoço. Então é preciso conhecer os hábitos do seu destinatário, para saber que tipo de mensagem mandar a ele.

Outro erro irritante que se comete no aplicativo: mandar áudios muito longos, que passam de um minuto ou muito mais. A boa comunicação recomenda, no máximo, 1 minuto de áudio, e olhe lá! Mais que isso é preferível uma conversa direta pelo telefone, senão a mensagem pode ser mal interpretada ou sair truncada. E boa parte das pessoas sempre olha o tempo do áudio antes de começar a escutá-lo. Se é longo demais, chegam a nem ouvi-lo. Além do mais nem todos tem boa oratória pra mandar mensagens longas sem se tornar repetitivos, enfadonhos e sem linha de raciocínio.

Mais um erro comum que se comete: incluir pessoas em grupos sem antes ter solicitado permissão pra isso. Eu mesmo sou um dos que odeiam ser incluídos em grupos de qualquer natureza, sem mais nem menos, tipo daqueles que quando você vê, já tem uma centena de mensagens alí e você nem sabe direito para que o grupo foi criado. Péssimo isso! Quer mandar mensagens para várias pessoas ao mesmo tempo, crie uma Lista de Transmissão.

E para finalizar: cuidado ao enviar emojis às pessoas. As figurinhas são bacanas e muitas vezes tornam a conversa descontraída, mas não é um recurso que você deve usar com clientes, por exemplo, ou com pessoas com as quais você não tem intimidade. Imagine um cliente seu respondendo a uma mensagem afirmando que “Amanha nos falamos”. Aí você vai lá e tasca um “joinha” apenas. Pega mal, muito mal. Denota desrespeito e desinteresse, ou até mesmo indiferença à mensagem dele. Em se tratando de etiqueta nas mensagens eletrônicas, certas figuras podem tanto ser positivas como negativas, dependendo do momento em que são enviadas e de como serão interpretadas. Nesses casos é sempre melhor responder com palavras como um “Ok, obrigado pela sua atenção” ou “Ótimo, fico no seu aguardo. Abraços”. Muitas vezes é preferível pecar pela formalidade do que pela informalidade desmedida.

Tem dúvidas quanto a isso? Fale comigo pelo email [email protected] e terei o prazer em te responder.


DEIXE SEU COMENTÁRIO