• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Miriam Névola

Repórter há mais de 15 anos e mãe desde 2018. Com as mudanças na rotina proporcionadas pela maternidade nasceu o blog Mãe Jornalista. Desde então compartilha dicas, escreve desabafos e mostra a realidade da vida de uma mulher que se divide em mil funções.

Minhas Redes Sociais:

Bebê pode usar celular?

Eu vi uma cena no mercado que me deixou preocupada. Um bebê que deve ter 1ano e 3 meses, no colo do pai, segurando o celular e assistindo vídeo, enquanto o pai fazia compras ao lado da mãe. Eu não sei a situação anterior, se a criança chorou muito, se estavam cansados, não sei, sou uma pessoa de fora observando a situação . Mas posso dizer que não estavam muito tempo ali pois havia pouca coisa no carrinho . Não estou aqui para julgar apenas para alertar a seguinte situação.

O mercado é uma ótima oportunidade para criança aprender. Cheio de cores, cheiros, texturas, novidades…. Pode ser uma diversão danada estar com os pais ali. Mas no momento que colocamos um celular na mão da criança, estamos a impedindo de conhecer esse mundo incrível que é a vida, que para o bebê é tudo novidade.

Vou exemplificar com outra situação. Eu fui ao teatro com a Monalisa, primeira vez dela. Ao entrar, se assustou com os artistas com máscaras de bichos. Demonstrou recusa. Logo, uma mãe gentilmente me mostrou o celular, disse que tinha Netflix e eu podia pegar emprestado. Entendi a boa vontade dela. Mas agradeci e disse que faria mais algumas tentativas.

Sentei com a Monalisa um pouco mais distante do palco. Comecei a conversar com ela. A apontar os artistas , mostrar como era legal estar ali. Dei um bolinho de banana (que havia levado) e seguimos assim, conversando, olhando…. Ela foi relaxando, curtindo, riu e aplaudiu. Ficamos uma hora direto. Assistimos tudinho.

Ou seja, se logo de cara eu tivesse cedido ao celular o que aconteceria? Não daria oportunidade dela aprender a contemplar, a se entreter de outras formas, a saber que tem horas que devemos ficar sentados assistindo, que podemos nos divertir com uma peça, que é muito legal o mundo e tem um montão de novidade.

“Ah, Miriam, vai dizer que você não dá celular pra Monalisa?”
Não devia dar até os 2 anos (recomendações dos médicos que rende outro post). Mas eu dou sim. Ela assiste vídeos no meu celular, no tablet no carro e em alguns momentos TV em casa. Tem horas que precisamos desse “auxilio” e não nego que faço isso SIM.

O que quero ressaltar aqui é o uso indiscriminado do celular por parte de BEBÊS. Enquanto eles estão nas telas significa que não estão pulando, engatinhando, andando, correndo, caindo, se sujando, brincando, descobrindo, mexendo, revirando gavetas, tirando coisas, colocando de volta, lendo livros…… Entende onde quero chegar??? O bebê que não faz tudo isso está PERDENDO  perdendo muitooooo. Você não tem noção de como brincar de tudo isso é importante para o desenvolvimento dele. Eu sei que dá mto mais trabalho pra nós pais, exige mais atenção, mais tempo, mais criatividade….. Mas maternidade/paternidade É isso mesmo. Não tem como fugir. Confie em mim, faça o teste por duas semanas. Dê o celular apenas em momentos esporádicos. Tem especialista que sugere APENAS 15 minutos ao dia.

Confie no seu filho. Não vá pela conversa de "ele só para com celular”. Ele não deve ficar parado mesmo e quando tiver que ficar só vai aprender se você ensinar e der oportunidade.


DEIXE SEU COMENTÁRIO