• Diretor de Redação Ulysses Serra Netto
  • MS Record
  • Rede Record
Folia

Cordão Valu faz 15 anos e lança gravação de frevo

Aniversário é no dia 2 de Dezembro, mas a festa será dia 11, na Praça do Rádio Clube

(Foto: Divulgação)

Para comemorar os 15 anos de criação do Cordão Valu, a serem completados no próximo dia 2 de dezembro (Dia Nacional do Samba), o mais tradicional grupo do Carnaval independente e popular de Campo Grande, e o selo musical Digital Arts, lançam em todas as plataformas de streamings de música, a gravação do Frevo do Cordão Valu. Com arranjos e direção musical do maestro Gilberto Cabral, a canção, finalmente, se tornou uma realidade fonográfica.

O evento será realizado no dia 11 de Dezembro no Teatro de Arena do Horto Florestal, com início às 17 horas. Originalmente, o frevo, de autoria do compositor Vinil Moraes, foi apresentado pelo Cordão Valu no Carnaval de 2015, porém nunca foi gravado profissionalmente.

A música estará à disposição nos canais do Spotify, do Cordão, e da Digital Arts, para que os foliões possam adicionar em suas bibliotecas, colocando a canção na lista de carnaval. Os admiradores do Cordão, podem também fazer vídeos no Tik Tok, marcando o Valu nas redes sociais.

Maestro deu o toque - Os arranjos e a orquestração do Frevo do Cordão Valu, foram feitos pelo maestro Gilberto Cabral, pernambucano que, em 1988, se mudou para Natal, para integrar a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte. Na capital potiguar, ele também foi maestro da Banda Sinfônica. E ainda, foi maestro de vários blocos, no Carnaval de Natal.  Em Pernambuco, na década de 80, Cabral recebeu o prêmio de melhor músico do carnaval de Olinda, (ele toca trombone).  

A gravação do Frevo do Cordão Valu, contou com as participações de brilhantes músicos, que trabalham com Cabral.

Fala Vinil! - Para o autor do frevo, Vinil Moraes, o Cordão Valu tem uma importância cultural para Campo Grande, imensa. De acordo com ele, foi graças a esse grupo carnavalesco, “que houve uma guinada na ocupação do centro da cidade e na ocupação das ruas de Campo Grande, durante o carnaval”.

Moraes lembra que o carnaval da Capital passava por um declínio acentuado, quando surgiu o Cordão Valu. ”O surgimento do Cordão, foi o que provocou essa explosão toda que o carnaval de rua de Campo Grande, é até hoje. É o bloco da cidade!”, assinala o compositor. 

A Festa - Embora o Cordão faça aniversário no dia 2 de dezembro, por uma questão de que na mesma data, este ano, outros eventos já estavam marcados na cidade, a festa então, será no dia 11 de dezembro, na Praça do Rádio, a partir das 17 horas, com o apoio da Fundação Estadual de Cultura e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur). 

É claro, que no evento, não irá faltar tudo o que lembra a Folia de Momo, e que é a própria essência do Cordão Valu: as inesquecíveis marchinhas de carnaval e os sambas tradicionais. Para isso, estão escalados como atrações musicais, o DJ Aruan Barcelos (que irá apresentar marchinhas e outros ritmos carnavalescos), a Banda do Cordão Valu, comandada por Bibi de Carvalho, que acompanhará os shows dos artistas Edir Valu, Marta Cel e Negra Bi.

A Escola de Samba Igrejinha, com a sua bateria, a porta bandeira e o mestre sala, e as passistas, encerrará a noite festiva, que será gratuita à população, e acontecerá dentro das regras sanitárias contra a Covid-19, como o uso de máscara.

Veja Também