Menu
18 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Imagens de 2017

Yago, fruto de gestação inédita, causou comoção

Por meio de aparelhos, hospital manteve gestação de mulher que teve morte cerebral

31 Dez2017Valdelice Bonifácio08h00
Yago deixa a Santa Casa nos braços da avó (Foto: Luciano Muta)
  • Em 21 de novembro, o bebê Yago deixou a Santa Casa nos braços da família após sete meses de internação
  • Yago deixa a Santa Casa nos braços da avó (Foto: Luciano Muta)
  • Yago recebe o carinho da equipe médica antes de deixar Santa Casa (Foto: Elaine Silva)
  • Yago deixa a Santa Casa nos braços da avó (Foto: Elaine Silva)
  • Família de Renata autorizou que os aparelhos fossem desligados após o parto (Foto: Arquivo Pessoal)
  • Presença de Yago foi alvo de atenção especial na Santa Casa (Foto: Divulgação)
  • Pequeno Yago nasceu em 31 de março pesando 1,50 kg e 34 cm (Foto: Divulgação)
  • Renata Souza Sodré, de 27 anos, mãe de Yago, foi mantida viva por aparelhos após ter morte cerebral no dia 27 de fevereiro para concluir gestação (Foto: Reprodução/Facebook)

Um amor chamado Yago gerou comoção neste ano de 2017. O bebê nasceu de um feito inédito na Santa Casa de Campo Grande. A mãe Renata Souza Sodré, 22 anos, teve morte cerebral em janeiro quando estava na 17ª semana de gestação. Os médicos mantiveram os aparelhos ligados e aplicaram medicamento de forma contínua para que ela completasse a gestação.

Em 31 de março, o pequeno Yago nasceu pesando 1,50 kg e 34 cm. O bebê foi encaminhado para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal do hospital, por nascer prematuro. A família autorizou o desligamento dos aparelhos que mantinham Renata viva.

Em 21 de novembro, Yago deixou o hospital e segue saudável sob os cuidados da família. As imagens que ilustram esta retrospectiva em fotografias são de Elaine Silva, Luciano Muta e Arquivo Pessoal.

Veja Também