Menu
21 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Imagens de 2017

Ex-governador usou tornozeleira e passou noite na cadeia

Puccinelli usou tornozeleira e esteve preso no Complexo Penal junto com o filho

31 Dez2017Valdelice Bonifácio11h00
Em 11 de maio, Puccinelli chega ao Patronato Penitenciário para colocação de tornozeleira, conforme determinação da Justiça. dentro da operação Máquinas de Lama, 4ª fase da Lama Asfáltica (Foto: Luciano Muta)
  • André Puccinelli e o filho André Puccinelli Júnior são levados para a prisão em 14 de novembro; eles obtiveram habeas corpus no dia seguinte
  • Em 11 de maio, Puccinelli chega ao Patronato Penitenciário para colocação de tornozeleira, conforme determinação da Justiça. dentro da operação Máquinas de Lama, 4ª fase da Lama Asfáltica (Foto: Luciano Muta)
  • Puccinelli ficou com a tornozeleira por seis dias até que um desembargador do TRF3 mandou retirar (Foto: Luciano Muta)
  • Apesar de estar livre da tornozeleira, bens de Puccinelli continuaram bloqueados (Foto: Luciano Muta)
  • Em 14 de novembro, Puccinelli foi novamente alvo da Polícia Federal; desta vez foi preso junto com o filho e outras duas pessoas (Foto: Marco Miatelo)
  • PF aponta que esquema de lavagem de dinheiro no governo Puccinelli causou danos de R$ 235 milhões (Foto: Marco Miatelo)
  • Polícia Federal conduziu os presos na Operação Papiros de Lama para o Complexo Penal (Foto: Marco Miatelo)
  • Puccinelli e o filho passaram a noite na cadeia, mas na manhã do dia seguinte deixaram a prisão beneficiados por habeas corpus (Foto: Marco Miatelo)
  • Puccinelli passou a noite em cela do Centro de Triagem, no Complexo Penal, em Campo Grande (Foto: Marco Miatelo)
  • Puccinelli Júnior abriu mão da cela especial para advogados e ficou com o pai no Centro de Triagem (Foto: Marco Miatelo)
  • O pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda revelou suposto esquema de corrupção que beneficiaria Puccinelli durante depoimento de delação premiada (Foto: Reprodução)
  • André Puccinelli em entrevista exclusiva à repórter Jacklin Andreucce da TV MS Record (Imagem: Lourival Furtado/TV MS Record)
  • Em 2 de dezembro, Puccinelli foi carregado nos braços por filiados do PMDB durante a convenção do partido (Foto: Marco Miatelo)
  • Puccinelli foi eleito presidente regional do PMDB e passou a ser cotado para concorrer ao governo do Estado em 2018 (Foto: Marco Miatelo)
  • Durante entrevista, governador admitiu que poderá sim disputar o governo estadual: 'sou um dos nomes' (Foto: Marco Miatelo)
  • André Puccinelli Júnior que esteve preso junto com o pai também compareceu à convenção do PMDB (Foto: Marco Miatelo)
  • Antigos aliados de Puccinelli também estiveram na convenção (Foto: Marco Miatelo)
  • Ao chegar para convenção, Puccinelli disse confiar na Justiça de Deus e dos homens (Foto: Marco Miatelo)
  • Em 22 de dezembro, André Puccinelli confirmou candidatura ao governo do Estado nas eleições de 2018 (Foto: Toninho Souza/Divulgação)
  • Puccinelli afirmou ter sido convencido a concorrer por seus correligionários e prometeu campanha ética (Foto: Toninho Souza/Divulgação)

O nome do ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli (MDB) voltou com força para os noticiários locais e até nacionais neste ano de 2017. Puccinelli vem sendo investigado há seis anos pela Operação Lama Asfáltica, da Polícia Federal (PF), que apura esquema de corrupção no governo dele. O Diário Digital captou imagens privilegiadas das ações que policiais que miraram o ex-governador. A presente retrospectiva tem fotografias de Marco Miatelo, Luciano Muta e Toninho Souza, em colaboração .

Em 11 de maio, Puccinelli foi alvo de medidas judiciais na operação Máquinas de Lama, 4ª fase da Lama Asfáltica. Ele usou tornozeleira, pagou fiança e teve os bens bloqueados. Em 14 de novembro, foi preso junto com o filho André Puccinelli Junior e outras duas pessoas na Papiros de Lama, 5ª fase da Lama Asfáltica. No dia seguinte, ele e os demais presos obtiveram liberdade por meio de habeas corpus.

A operação se baseou em delação premiada do empresário e pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda que disse que recolhia propina de empresas e entregava a Puccinelli. Em entrevista exclusiva à TV MS Record, o ex-governador negou a existência de corrupção no seu governo e comentou o curto período em que esteve preso. “Fiquei sem alimentação de manhã até vir a quentinha às 17h30”, lembrou.

Pouco depois da prisão, em 2 de dezembro, Puccinelli foi eleito presidente regional do PMDB. Ele foi recebido com festa na convenção do partido e chegou ser carregado nos braços por apoiadores. O ex-governador e agora dirigente do PMDB é cotado para concorrer ao governo nas eleições de 2018. Na ocasião, ele admitiu que poderia disputar o cargo.

Em 22 de dezembro, André Puccinelli confirmou a pré-candidatura ao governo do Estado em reunião do partido na Capital. O ex-governador afirmou ter sido convencido a concorrer por seus correligionários e prometeu campanha ética.

Veja Também