Menu
26 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Contra reformas

Trabalhadores de MS lotarão mais de 40 ônibus para ocupar Brasília

Objetivo é tentar barrar a aprovação das reformas Trabalhista e Previdenciária

11 Mai2017Da redação15h41

Mais de 40 ônibus com professores, servidores públicos, comerciários, industriários, operários da construção civil e dezenas de outros segmentos de Mato Grosso do Sul partem de Campo Grande no próximo dia 23 de maio a Brasília, para “ocupar” a capital federal, juntamente com caravanas de todo os país, para tentar barrar a aprovação das reformas Trabalhista e Previdenciária.

A decisão foi tomada esta semana em reunião do Comitê Estadual Contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista, integrada pelas 7 centrais sindicais (Força, UGT, CUT, CTB, CGTB, CSB e NCST), além de dezenas de federações e centenas de sindicatos.

“Sairemos de Campo Grande na terça-feira logo após o almoço e retornaremos só na quinta-feira. Será uma grande luta que travaremos em Brasília para demonstrar nossa indignação, a indignação do povo brasileiro, com os rumos dessas famigeradas reformas”, comentou Elvio Vargas, um dos líderes do Comitê.

Só a Fetems (Federação dos Trabalhadores na Educação de Mato Grosso do Sul) serão 20 ônibus já fretados com professores, diretores de escolas e outros profissionais da educação, indignados com as reformas previdenciária e trabalhista, informa Elvio Vargas.

Os outros ônibus serão lotados pelas centrais e por outras federações. “Vamos com tudo para Brasília, pois precisamos mostrar a força do trabalhador brasileiro naquela semana decisiva em que os projetos vão para aprovação”, afirma Antônio César Amaral Medina, coordenador geral do SINDJUFE/MS (Sind. dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul), que conclama a categoria para aderir a essa ação de 23 a 25 de maio em Brasília.

Estevão Rocha dos Santos, diretor da Força Sindical MS e diretor da FETRACOM/MS (Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços de MS) pede todo o empenho dos sindicatos, federações e das centrais locais para conseguir levar o maior número de pessoas nessa caravana a Brasília dia 23. “É o tudo ou nada”, afirma o sindicalista que alerta mais uma vez: “As consequências aos trabalhadores serão desastrosas se essas reformas passarem”, afirmou.

José Lucas da Silva, presidente da CSB/MS (Central dos Sindicatos Brasileiros) também tem divulgado as consequências das reformas para a vida dos trabalhadores em geral. “Se as pessoas não reagirem e irem para as ruas somar forças conosco, se essas reformas passarem, elas sentirão na pele, para o resto da vida, as consequências desastrosas que essas reformas representam”, afirmou.

Webergton Sudário, presidente da Fetricon/MS, acredita que Brasília será tomada pelo movimento sindical, de todo o Brasil, na semana de 23 a 25 de maio. “Vamos com tudo, com todas as nossas forças tentar reverter esse quadro e lembraremos sempre aos nossos ilustres parlamentares, que em 2018 teremos eleições e se estaremos firmes para continuar a luta para esclarecer os nossos eleitores quem é quem na votação dos interesses dos trabalhadores no Congresso Nacional”, afirmou.

 

Veja Também

Cãmara Prefeitura presta contas Situação financeira da Capital será debatida na segunda-feira
Assembleia Deputados analisam, prestação de contas da Saúde Relatório do primeiro quadrimestre será votado e aprovado por parlamentares
Múltipla escolha eleitoral
Pedro Chaves defende caminhoneiros e critica gestão da Petrobras
Projeto de lei cria programa de amparo à mulher alcoólatra em MS
Temer entra com ação no STF para desbloquear rodovias
Forças federais vão desbloquear rodovias
Simone comemora destinação de 30% do fundo eleitoral para mulheres
TSE define quanto cada partido receberá de fundo eleitoral
Reoneração é aprovada com erro e projeto será ajustado, diz Marun