Campo Grande •23 de Maio de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Quinta, 11 de Maio de 2017 - 15h41Trabalhadores de MS lotarão mais de 40 ônibus para ocupar BrasíliaObjetivo é tentar barrar a aprovação das reformas Trabalhista e Previdenciária

(Foto: Divulgação)

Mais de 40 ônibus com professores, servidores públicos, comerciários, industriários, operários da construção civil e dezenas de outros segmentos de Mato Grosso do Sul partem de Campo Grande no próximo dia 23 de maio a Brasília, para “ocupar” a capital federal, juntamente com caravanas de todo os país, para tentar barrar a aprovação das reformas Trabalhista e Previdenciária.

A decisão foi tomada esta semana em reunião do Comitê Estadual Contra as Reformas Previdenciária e Trabalhista, integrada pelas 7 centrais sindicais (Força, UGT, CUT, CTB, CGTB, CSB e NCST), além de dezenas de federações e centenas de sindicatos.

“Sairemos de Campo Grande na terça-feira logo após o almoço e retornaremos só na quinta-feira. Será uma grande luta que travaremos em Brasília para demonstrar nossa indignação, a indignação do povo brasileiro, com os rumos dessas famigeradas reformas”, comentou Elvio Vargas, um dos líderes do Comitê.

Só a Fetems (Federação dos Trabalhadores na Educação de Mato Grosso do Sul) serão 20 ônibus já fretados com professores, diretores de escolas e outros profissionais da educação, indignados com as reformas previdenciária e trabalhista, informa Elvio Vargas.

Os outros ônibus serão lotados pelas centrais e por outras federações. “Vamos com tudo para Brasília, pois precisamos mostrar a força do trabalhador brasileiro naquela semana decisiva em que os projetos vão para aprovação”, afirma Antônio César Amaral Medina, coordenador geral do SINDJUFE/MS (Sind. dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul), que conclama a categoria para aderir a essa ação de 23 a 25 de maio em Brasília.

Estevão Rocha dos Santos, diretor da Força Sindical MS e diretor da FETRACOM/MS (Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços de MS) pede todo o empenho dos sindicatos, federações e das centrais locais para conseguir levar o maior número de pessoas nessa caravana a Brasília dia 23. “É o tudo ou nada”, afirma o sindicalista que alerta mais uma vez: “As consequências aos trabalhadores serão desastrosas se essas reformas passarem”, afirmou.

José Lucas da Silva, presidente da CSB/MS (Central dos Sindicatos Brasileiros) também tem divulgado as consequências das reformas para a vida dos trabalhadores em geral. “Se as pessoas não reagirem e irem para as ruas somar forças conosco, se essas reformas passarem, elas sentirão na pele, para o resto da vida, as consequências desastrosas que essas reformas representam”, afirmou.

Webergton Sudário, presidente da Fetricon/MS, acredita que Brasília será tomada pelo movimento sindical, de todo o Brasil, na semana de 23 a 25 de maio. “Vamos com tudo, com todas as nossas forças tentar reverter esse quadro e lembraremos sempre aos nossos ilustres parlamentares, que em 2018 teremos eleições e se estaremos firmes para continuar a luta para esclarecer os nossos eleitores quem é quem na votação dos interesses dos trabalhadores no Congresso Nacional”, afirmou.

 

Veja Também
Na Fiems, governador diz que manterá incentivos fiscais
STF condena Paulo Maluf a 7 anos e 9 meses de prisão
Defesa de Aécio recorre ao STF para retomar mandato
Investigação de Reinaldo deve começar
Lula é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro
Delcídio diz que foi interrogado pelo Departamento de Justiça dos EUA
Governador suspeita de vingança do JBS em delação
OAB pede acesso às delações sobre políticos de MS
Servidores pedem apuração sobre verba do MSPrev
Crise pode atrasar reforma da Previdência, diz Meirelles
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento