Menu
22 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Nacional

Temer diz que Previdência só será votada se vitória estiver garantida

Governo tem pressionado lideranças partidárias para tentar aprovar a medida na Câmara

6 Dez2017Da redação07h56

O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira (5) que o clima melhorou para a reforma da Previdência, mas ressaltou que a proposta só será colocada em votação, ainda neste ano, caso houver a certeza da vitória.  De acordo com o presidente, a possibilidade de aprovação aumentou por conta das últimas reuniões com os partidos aliados.

“Estou muito otimista por várias razões. Primeiro, porque a imprensa está apoiando. Segundo, porque houve exatamente a compreensão do que é a reforma da Previdência; em terceiro lugar, a sociedade está admitindo e tendo absoluta convicção de que ela é indispensável. E, em quarto lugar, sinto uma sensibilização muito maior com nossos deputados e senadores”.

Na busca pelos votos necessários para reforma, Temer também afirmou que o presidente do PSDB Alberto Goldman tem sinalizado que pode trabalhar pela Previdência. Nas últimas semanas, o apoio dos tucanos foi posto em dúvida, após o partido fazer exigências para votar pela proposta. Michel Temer falou com a imprensa após um almoço com o presidente da Bolívia, Evo Morales.

Quem também falou pela reforma da previdência, nesta terça-feira, foi o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Segundo ele, o assunto tem sido melhor explicado para a sociedade, fazendo com que a resistência ao projeto diminuísse.

"Tenho muita esperança que a gente possa votar este ano. Essa matéria será votada em algum momento. Quanto mais distante do dia de hoje, maior será a necessidade da reforma, mais dura será a reforma".

Para que as novas regras de aposentadoria passem a vigorar no país, é necessário que o texto da reforma da Previdência seja aprovado nas duas casas do Congresso Nacional, em dois turnos e por pelo menos 3/5 dos votos de deputados e senadores. E é por isso que o governo tem pressionado lideranças partidárias para tentar aprovar a medida na Câmara, ainda neste ano.

Veja Também

Presidenciável, Henrique Meirelles volta à Capital na segunda-feira
Câmara quer pressa em apreciar alterações
Reservista do serviço militar poderá atuar como policial voluntário
Biometria para deputados é implementada na Assembleia
ex-governador Cabral vira réu pela 24ª vez
Verba para UBS não sai e abre divergência política
Simone elogia retomada das obras de fábrica de fertilizantes em MS
Educação Ações podem acabar com cursos EaD na área da saúde em MS Medidas foram decididas em audiência pública da assembleia
Eleições 2018 Eleição sem dinheiro de empresários Pela 1ª vez, campanha eleitoral não terá financiamento de empresas
PF pede quebra de sigilo telefônico de Temer e ministros