Menu
21 de março de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Aguas Guariroba -  Campanha Março - Obras 2019
Campo Grande 117 anos

Ser prefeito de Campo Grande garante futuro político

Capital sempre foi trampolim para políticos que chegaram ao Governo e ao Senado

24 Ago2016Laureano Secundo14h00

Em 2016, Campo Grande estará elegendo o nono prefeito desde quando se tornou capital, em 1979 e conseguir vencer uma disputa eleitoral na cidade pode representar um grande passo para que o político se torne uma liderança de peso em nível estadual. Na disputa eleitoral deste ano, estão surgindo candidatos que buscam , pela primeira vez chegar ao cargo de prefeito, e quem conseguir uma vitória pode estar dando um passo importante para assumir posição de liderança política em futuros pleitos.

Mesmo antes de se tornar Capital são muitos os exemplos de políticos que após obterem vitórias eleitorais em campo grande acabaram chegando ao Governo do estado ou mesmo ao Senado. Fernando Corrêa da Costa, Wilson Barbosa Martins e Antonio Mendes Canale, Levi Dias e Marcelo Miranda são alguns dos ex-prefeitos de Campo Grande que conseguiram galgar cargos mais importantes na política estadual e até mesmo nacional.

Em 1985, Campo  Grande voltou eleger prefeito pelo voto direto  e desde que tornou-se Capital foi o primeiro  pleito  em que o Chefe do Executivo não foi indicado pelo Governador. Na época o escolhido foi Juvêncio Cesar da Fonseca que acabou se revezando com Lúdio Coelho pelos próximo anos no comando administrativo da Capital.

A capital sempre foi uma espécie trampolim para que seu prefeito pudesse alcançar cargos mais elevados.  Foi isso que aconteceu com o Próprio Juvêncio que retornou a prefeitura em 1992 e depois,  em 1998, foi eleito senador. O próprio Lúdio Coelho após eleger-se prefeito em 1988 acabou sendo eleito senador em 1994.

Com o fim do ciclo Lúdio-Juvêncio começou a ascensão de André Pùccinelli que elegeu-se prefeito em 1996 conseguiu a reeleição em 2000 e já em 2006 chegou ao Governo do Estado tendo sido reeleito em 2010. Curiosamente o partido de André Puccinelli  o PMDB que elegeu a maioria dos prefeitos desde  a volta das eleições diretas, chega a essa disputa sem sequer ter um nome na disputa.

Veja Também

CCJ aprova projeto de Simone Tebet que beneficia população de baixa renda
OAB não aceitará inscrição de acusados de violência contra mulheres
Proibição do Narguilé será discutida amanhã em Audiência Pública
Relator da PEC da Previdência deve ser escolhido até quinta, diz Francischini
Fábio Trad assume liderança da Câmara e coordenação da principal comissão da Casa
Deputada defende aumento de pena
Maia diz que é viável aprovar reforma da Previdência no 1º semestre
Governo fixa critério para ocupação de cargos
Movimento Assembleia terá semana movimentada Audiências públicas, sessões solenes marcam a semana do legislativo
Com Puccinelli, MDB discute união interna