Menu
21 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Infraestrutura

Senador pede que CCR conclua duplicação ou devolva concessão da 163

Pedro Chaves também pede que empresa pare imediatamente de cobrar pedágio

20 Abr2017Da redação15h54

O senador Pedro Chaves (PSC/MS) não concorda com o pedido encaminhado pela CCR MS Via à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para interromper as obras de duplicação da BR 163 e continuar cobrando pedágio dos usuários da rodovia.

“É uma proposta absurda, que não atende aos interesses da população sul-mato-grossense. Se a CCR se declara incapaz de dar continuidade à obra, então que pare imediatamente de cobrar o pedágio e devolva a concessão ao governo federal, para que seja feita uma nova concorrência pública que definirá o nome de outra empresa para assumir a empreitada. O que não pode é paralisar a duplicação e continuar cobrando dos milhares de motoristas que diariamente utilizam a estrada”, ponderou o senador nesta quinta-feira (20), durante reunião com o governador Reinaldo Azambuja e dezenas de prefeitos, entre eles os dos municípios cortados pela BR 163, na sede da Associação Sul-Mato-Grossense de Municípios (Assomasul), em Campo Grande.

Para Pedro Chaves, o contrato de concessão assinado com o governo federal tem que ser respeitado. “A CCR MS Via integra um dos maiores grupos de concessão de infraestrutura da América Latina. O grupo opera rodovias e diferentes meios de transporte nos maiores estados brasileiros. É inconcebível que, ao se candidatar para obter a concessão da BR 163, não tenha feito uma avaliação dos riscos do negócio no qual estava entrando. Se eles não previram a queda no fluxo de veículos verificada nos últimos 12 meses, que arquem com as consequências, cumpram o compromisso assumido com o governo e concluam a obra. Ou então, que saiam do negócio e sofram as punições estabelecidas em contrato. Os usuários da rodovia, que há anos esperavam pela duplicação e pagam religiosamente o pedágio, é que não podem ficar no prejuízo”, advertiu.

O senador assegura que toda a classe política está mobilizada para buscar uma solução que atenda aos interesses de Mato Grosso do Sul. “Na próxima terça-feira (25) a bancada de senadores e deputados federais que representam o nosso estado no Congresso Nacional se reunirão em Brasília com o presidente da ANTT, Jorge Bastos, para cobrar uma posição dura da agência. Se ela não vier, recorreremos ao Ministério dos Transportes e até o Presidente da República para que a CCR honre com os compromissos assumidos com Mato Grosso do Sul”, garantiu.

Veja Também

MPF cobra R$ 22 milhões de Puccinelli e ex-secretários
LDO terá audiência pública dia 27
Cadastro biométrico não é obrigatório no interior para eleições 2018, diz TRE-MS
Servidor público terá falta abonada para ir à reunião escolar
TCE-MS encaminha projeto de reajuste salarial à Assembleia
Vereadores da Capital propõem parcelar imposto em até 12x
Aprovados em concurso da Agepen pedem apoio por convocação
Segunda instância rejeita último recurso de Lula no caso do triplex
STF aceita denúncia contra Aécio por corrupção e obstrução de Justiça
Vereadora promete provar que trocou de partido por justa causa